Bolsonaro recua e nomeia Crivella para “continuar legado de Vélez”

09abr2019_17h15

CILCOVIA TIM MAIA – O presidente Jair Bolsonaro convocou uma coletiva de imprensa com jornalistas da Record e do SBT, hoje pela manhã, para anunciar o mais novo recuo do seu governo. O economista da Escola de Carvalho, Abraham Weintraub, foi demitido da chefia do Ministério da Educação após um dia no cargo, que passou a ser ocupado pelo prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella. “É o nome mais capacitado para dar continuidade ao legado do ex-ministro Vélez”, explicou Bolsonaro. “Além disso, o tal do Ventraube ministro tinha um nome muito difícil de tuitar. Não ia dar certo.”

Bolsonaro contou que o nome de Crivella surgiu naturalmente, após nova prova de incompetência do prefeito, que só foi para o Centro de Operações Rio cinco horas após o início da tempestade que castigou a capital Fluminense. “É de gente assim que a gente precisa no MEC”, explicou. “De gente séria, comprometida com a ineficiência, de forma a fazer a educação entrar num caminho bem planejado de colapso.”

O agora ex-prefeito do Rio saudou a nomeação: “Não devemos ter dificuldades em Brasília, principalmente em época de estiagem. Vamos cuidar das pessoas e da prova do Enem, que foram muito maltratados pelos governos do PT, do qual eu inclusive era Ministro da Pesca. Antes eu dava o peixe, agora quero ensinar a pescar”, afirmou Crivella em tom descontraído. “Levo comigo a vontade de somar e também a Márcia, que pode ajudar quem tiver problemas”. Crivella parece já ter se adaptado ao modus operandi do governo Bolsonaro e, em seu primeiro dia, postou uma foto no Twitter segurando uma bóia com a legenda “Provando que esse twitter é meu mesmo (o que é um pouco inusitado)”.

Arquivo
O The piauí Herald não é uma seção noticiosa, mas exclusivamente de humor, com sátiras da realidade política do Brasil.