Depois de chocolate, Weintraub usa balas (de revólver) em novo vídeo sobre educação

10maio2019_17h03
Após errar o nome do escritor Franz Kafka e a conta de quantos chocolates representam 30%, o ministro da Educação teme repetir de ano em literatura e matemática
Após errar o nome do escritor Franz Kafka e a conta de quantos chocolates representam 30%, o ministro da Educação teme repetir de ano em literatura e matemática

DOCES OU TRAVESSURAS – “Você imagina que esse fuzil 762 aqui é a CAPES. Estamos apenas colocando o fuzil em modo travado, para que nenhuma bala seja disparada”, explicou o Ministro da Educação, Abraham Weintarub, em novo vídeo sobre a suspensão de bolsas de mestrado e doutorado pelo sistema CAPES. “Não é isso que a esquerda quer? Tiro nenhum? Então, aí está!”, afirmou em seguida, despertando risos no presidente Jair Bolsonaro, que acompanhou a live organizada em conjunto pelo MEC e pela National Rifle Association.

A nova live ocorreu um dia após Weintraub usar chocolates para tentar explicar o corte de 30% no orçamento das universidades federais. “A gente percebeu que o chocolate excluía 14 milhões de brasileiros que são diabéticos. Se fosse trocado por bolinha de queijo, ia deixar de fora outros 10 milhões que têm colesterol alto. Já a linguagem da bala é universal. Inclui os 57 milhões que votaram no presidente e todo o resto que ficou de mimimi depois desse último decreto dele”.

“A gente tá pedindo, simplesmente, que três tirinhos e meio, dessas cem balas, sejam economizados”, explicou o ministro, atualizando a metáfora sobre os cortes de chocolate. “A gente não tá falando pra pessoa que a gente vai parar de atirar, não tá parando, deixa pra fuzilar depois de setembro, é só isso que a gente tá pedindo, isso é segurar um pouco”, declarou. Aproveitando que Weintraub cortou uma bala de kalashnikov ao meio, Bolsonaro tomou da mão do ministro a outra metade e comeu.

Arquivo
  • 2019
  • 2018
  • 2017
  • 2016
  • 2015
  • 2014
  • 2013
  • 2012
  • 2011
  • 2010
  • 2009
O The piauí Herald não é uma seção noticiosa, mas exclusivamente de humor, com sátiras da realidade política do Brasil.