BNDES contrata auditoria de R$ 480 milhões para auditar auditoria de R$ 48 milhões

29jan2020_17h18
Eduardo Bolsonaro já cogita indicar seu brother Paulinho da Praia do Diabo para o lugar de Montezano
Eduardo Bolsonaro já cogita indicar seu brother Paulinho da Praia do Diabo para o lugar de Montezano

XEROQUE ROLMES – “Eu sempre falei que a gente ia abrir a caixa preta do BNDES. O garoto lá que tá na presidência do banco abriu, não achou nada, mas gastou R$ 48 milhões. Então mandei gastar dez vezes mais pra entender como é que o garoto gastou essa grana toda e não achou nada. Vai ser a caixa preta da caixa preta, que no caso, eu tô chamando de caixa verde e amarela, tá ok?”

A declaração, dada hoje de manhã pelo presidente Jair Bolsonaro, pegou de surpresa o economista Gustavo “The Kid” Montezano, o amigo do deputado federal Eduardo Bolsonaro que preside o BNDES. “Sei que o garoto é novo, que dez anos atrás tava brincando no play lá do prédio com o Eduardo, mas tem que ter responsabilidade, pô”, desabafou Bolsonaro, que aproveitou a coletiva pra atacar o Coaf. “Esse Coaf aí cai em cima do Flávio quando o Queiroz faz 48 depósitos na conta dele, mas fica quietinho com os R$ 48 milhões gastos pelo garoto lá no banco, tá ok? Tem que investigar isso daí. Ou pelo menos auditar, por uns 4,8 bilhões.”
Para auxiliar na nova operação de devassa nas contas do banco, Bolsonaro solicitou também a presença de especialistas do Cindacta, o Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo: “Agora tem que falar com quem entende de caixa preta, que é o pessoal da aeronáutica. Se não der certo a gente chama um mágico, que é especialista em tirar coisa que a gente nem sabia que estava dentro da caixa. O Zero 2 já me indicou uns quatro desses que ele fica vendo na internet e que do nada faz aparecer carro, moeda na orelha, sentido nas frases do Olavo. Coisa impressionante”.
Arquivo
  • 2020
  • 2019
  • 2018
  • 2017
  • 2016
  • 2015
  • 2014
  • 2013
  • 2012
  • 2011
  • 2010
  • 2009
O The piauí Herald não é uma seção noticiosa, mas exclusivamente de humor, com sátiras da realidade política do Brasil.