Bolsonaro adota um gatonet que estava perdido no Alvorada

03jul2020_12h41
Revoltado, o governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel reclamou que o gatonet de estimação pertence à sua família, e acabou se perdendo depois de pular a cerca do Palácio das Laranjeiras para ir ao churrasco de uma milícia
Revoltado, o governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel reclamou que o gatonet de estimação pertence à sua família, e acabou se perdendo depois de pular a cerca do Palácio das Laranjeiras para ir ao churrasco de uma milícia

ANTENA PARANÓICA – Pai é pai. Incomodado com a tristeza que tomou o Palácio do Alvorada após a devolução do cachorro Augusto Bolsonaro ao seu antigo proprietário, o presidente Jair Bolsonaro imbuiu-se do senso de responsabilidade que cabe ao homem de bem, arrimo de família, e resolveu levar alegria ao lar. Ontem, quando chegou do trabalho, o paizão Jair carregava o novo pet do clã Bolsonaro: um gatonet de raça, que ele havia encontrado vagando de coleira pelos jardins do Alvorada.

“No tocante a esse gatonet daí, é um bicho manso, que obedece bem aos comandos do dono pelo controle remoto, tá ok?”, explicou Bolsonaro. “Sei disso porque o Queiroz tinha uma criação grande dessa raça de gatonet daí lá em Rio das Pedras.” Assim como seu predecessor Augusto, o novo primeiro-pet recebeu nome de general: Hamilton. “Já que ele é o segundo bicho da casa recebe o nome de vice, tá ok?”

A chegada de Hamilton, o gatonet, ao Alvorada, foi um dos fatores que motivou a insistência do presidente para a volta dos campeonatos de futebol. “Dá pra ver até jogo do Madureira contra o Bangu, que é o time onde joga um conhecido nosso”, explicou Bolsonaro. Moderno, o bichano troca todos os programas de notícia – menos os da CNN Brasil – por vídeos de receita de Ana Maria Braga.

Arquivo
  • 2020
  • 2019
  • 2018
  • 2017
  • 2016
  • 2015
  • 2014
  • 2013
  • 2012
  • 2011
  • 2010
  • 2009
O The piauí Herald não é uma seção noticiosa, mas exclusivamente de humor, com sátiras da realidade política do Brasil.