A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Temer lamentou distância da área econômica (Divulgação)
Temer lamentou distância da área econômica (Divulgação)

Agenda da vice-presidência desdiz carta de Temer

Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
08.dez.2015 | 12h49 |

Na carta que entregou ontem à presidente Dilma Rousseff, o vice-presidente Michel Temer enumerou 11 episódios que, segundo ele, evidenciariam o desprezo do governo petista em relação a seu trabalho. No ponto número dois da lista, Temer disse o seguinte: “Jamais eu ou o PMDB fomos chamados para discutir formulações econômicas”.

FALSO

A Lupa checou a agenda pública do vice-presidente ao longo de 2015 e constatou que, neste ano, Temer teve 15 encontros com o ministro da Fazenda Joaquim Levy, três a mais do que o número de reuniões públicas entre Dilma e o ministro.

Doze dessas 15 reuniões aconteceram no Gabinete da Vice-Presidência, em Brasília. E as outras três, no Palácio Jaburu, residência oficial do vice-presidente, também na capital federal.

Dos 15 encontros de Temer com Levy, quatro também contaram com a presença do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa. Uma em fevereiro, duas em abril e uma em agosto.

Duas destas reuniões entre Temer, Levy e Barbosa ainda tiveram a participação do ex-ministro da Casa Civil Aloizio Mercadante.

O grupo composto pelos ministros da Fazenda, do Planejamento e da Casa Civil (até 2 de outubro Joaquim Levy, Nelson Barbosa e Aloizio Mercadante, respectivamente) é conhecido no governo como “junta orçamentária” e costuma se reunir para discutir e definir formulações econômicas. Entre abril e agosto de 2015, o vice-presidente atuou como articulador político do governo Dilma Rousseff.

O PMDB, partido do qual Temer é presidente licenciado, também teve representação nas diversas reuniões do vice-presidente com os ministros da área econômica. O ex-ministro da Aviação Civil Eliseu Padilha, do PMDB do Rio Grande do Sul, por exemplo, participou de seis reuniões entre Temer e Levy, segundo consta na agenda oficial da Vice-Presidência.

A Lupa solicitou oficialmente à Vice-Presidência as pautas dos 15 encontros mencionados nesta checagem.

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo