A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Nota – Lupa reafirma que dados do governo e dos estados divergem sobre casos confirmados de microcefalia

Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
02.mar.2016 | 22h22 |

Ao contestar o trabalho que foi apresentado pela Agência Lupa na última segunda-feira, o Ministério da Saúde alegou que a discrepância detectada entre os dados repassados pelos estados e a tabela nacional sobre casos de microcefalia já confirmados se deve a uma defasagem no fechamento dos diversos relatórios que são enviados à pasta. Esses fechamentos, segundo o ministério, ocorreriam em dias diferentes.

No último dia 25, o secretário estadual de Saúde de SP, David Uip, afirmou em vídeo que o estado já tinha “149 casos de microcefalia confirmados”. Dois dias depois, no dia 27, o ministério fechou o boletim nacional que foi divulgado oficialmente ontem (dia 1). Nele, a informação passada por Uip no dia 25 e confirmada por sua assessoria de imprensa não aparece. Na coluna de casos de microcefalia “confirmados” em São Paulo, segue o zero constatado na semana anterior.

Além disso, a Lupa apurou junto às informações oficiais do próprio ministério, que, entre 2010 e 2014, o estado de São Paulo teve uma média de 36 casos de microcefalia confirmados por ano. Como se explicaria então que, em 2015 e 2016, quando a epidemia de microcefalia aparece com toda a força e o registro da doença se torna obrigatório, o número de casos confirmados de microcefalia em SP se mantenha em zero?

A Agência Lupa reforça que, na segunda-feira, foi clara. A frase avaliada foi a seguinte: “Não há fragilidade (nos dados de microcefalia)”. O caso de SP, somado às outras discrepâncias detectadas e demonstradas no site da agência, permite concluir que há, sim, dúvidas consistentes sobre os dados oficiais de casos confirmados de microcefalia no país.

A reportagem ressalta que sempre questionou as secretarias estaduais, solicitando “dados de microcefalia confirmados”. Em momento algum, trabalhou com notificações.

A agência acrescenta ainda que é seu trabalho pôr à prova todas as informações que julgar pertinente e levar ao público suas conclusões. O que a Lupa espera é que os dados do ministério e os dados divulgados oficialmente pelas secretarias estaduais de saúde sejam convergentes, idênticos e exatos. Só assim, será possível construir uma política pública capaz de enfrentar de uma vez por todas a dolorosa realidade da microcefalia no Brasil.

CHEQUE OS NÚMEROS

Números de São Paulo: zero x 149

Segundo arquivo divulgado pelo ministério sobre SP e tabela publicada pela pasta em 23 de fevereiro: zero casos confirmados.

Segundo a secretaria estadual de saúde: 149 casos confirmados

Veja ainda, a partir do minuto 2:33, o secretário David Uip atesta que o total de casos confirmados de microcefalia em SP chegava a 149, em entrevista concedida no dia 25 de fevereiro).

Média de casos entre 2010 e 2014 (quando não era obrigatória a notificação/ver tabela 2): 36

 

Números do Pará: 1 x 16

Segundo arquivo divulgado pelo ministério sobre PA e tabela publicada pela pasta em 23 de fevereiro: 1 caso por zika

Segundo a secretaria estadual de saúde: 1 caso por zika em 2016 e 15 casos sem causa confirmada em 2015.

Média de casos entre 2010 e 2014 (quando não era obrigatória a notificação/ver tabela 2): 7

 

Números de Alagoas: 25 x 38

Segundo o arquivo divulgado pelo ministério sobre AL e tabela publicada pela pasta em 23 de fevereiro: 25 casos confirmados

Segundo a secretaria estadual de saúde: 38 casos confirmados.

Média de casos entre 2010 e 2014 (quando não era obrigatória a notificação/ver tabela 2): 3

 

Números do Rio de Janeiro: 2 x 208

Segundo arquivo divulgado pelo ministério sobre RJ e tabela publicada pela pasta em 23 de fevereiro: 2 casos confirmados

Segundo a secretaria estadual de saúde: 208 casos confirmados até 3 de fevereiro

Boletins anteriores:

Em 2 de dezembro, 23 casos confirmados

Em 9 de dezembro, 45 casos confirmados.

Em 16 de dezembro, 66

Em 21 de janeiro, 166

Em 27 de janeiro, 171

Veja ainda:

Declaração do secretário estadual de saúde ao Jornal O Globo, do dia 1 de março

No minuto 3:20, o ex-secretário estadual de Saúde confirma 66 casos de microcefalia

Média de casos entre 2010 e 2014 (quando não era obrigatória a notificação/ver tabela 2): 12

 

Números de Minas Gerais: zero x 34

Segundo arquivo divulgado pelo ministério sobre MG e tabela publicada pela pasta em 23 de fevereiro: zero casos confirmados

Segundo a secretaria estadual de saúde: 34 casos confirmados “no geral”, nenhum por relação com zika.

Média de casos entre 2010 e 2014 (quando não era obrigatória a notificação/ver tabela 2): 16

 

Números do Espírito Santo: 3 x zero

Segundo arquivo divulgado pelo ministério sobre ES e tabela publicada pela pasta em 23 de fevereiro: três casos confirmados

Segundo a secretaria estadual de saúde: zero casos confirmados.

Média de casos entre 2010 e 2014 (quando não era obrigatória a notificação/ver tabela 2): 3

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo