A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados
Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados

Comissão do impeachment tem 36 parlamentares com pendências judiciais

Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
17.mar.2016 | 21h25 |

A Câmara dos Deputados elegeu nesta quinta-feira, 17 de março, os integrantes da comissão especial que analisará o impeachment da presidente Dilma Rousseff. O grupo reúne um total de 65 titulares.

Ao encerrar a votação que deu origem ao grupo, o presidente da Casa, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), destacou:

“A presidência da Câmara dos Deputados resolve convocar os membros da Comissão Especial destinada a dar parecer sobre a denúncia contra a senhora presidente da República por crime de responsabilidade”

DE OLHO

A Lupa fez um levantamento junto ao projeto Excelências, da Transparência Brasil, para identificar quantos desses políticos têm “ocorrências com a Justiça ou com os Tribunais de Contas”. Isso quer dizer: quantos possuem inquéritos (investigações) em aberto ou ações  em andamento nos tribunais de justiça, de contas ou eleitorais.

Dos 65 membros da comissão, 36 acumulam 155 ocorrências deste tipo, segundo as informações mais atuais disponíveis no projeto Excelências. Vinte e nove dos 65 políticos que analisarão o pedido de impeachment de Dilma não têm qualquer registro assim.

Seis partidos têm 100% de seus representantes na comissão com alguma ocorrência identificada. São eles: PP, PSD, PPS, PEN, PTN e PV. Dos oito deputados do PMDB na comissão, sete apresentam ocorrências. No PT, dos oito nomes eleitos, cinco têm ocorrências*. No PSDB, dos seis nomes, metade também acumula registros.

Não possuem ocorrências nos tribunais, segundo o Excelências, os deputados do PSOL, REDE, PHS, PMB, PTdoB, PROS, DEM e PCdoB, que completam a comissão. Os demais apresentam pelo menos um.

Veja abaixo em detalhe:

Os parlamentares da comissão especial que têm o maior número de ocorrências são: Washington Reis (PMDB-RJ), com 28 registros; Júnior Marreca (PEN-MA), com 12; e Paulo Maluf (PP-SP), com 11.

O relator  da comissão, deputado Jovair Arantes (PTB/GO), teve a prestação de contas das eleições de 2006 rejeitadas, e o TSE manteve a decisão. Em 2012, suas contas de campanha também foram reprovadas. Mais uma vez ele recorreu, e a decisão foi mantida. Arantes também é alvo de ação movida pelo MPF por improbidade administrativa. Já o deputado eleito para ser presidente da comissão especial de impeachment, Rogério Rosso (PSD-DF), foi indiciado por peculato em um inquérito do Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal em 2010. Todas as informações foram extraídas do site Excelências.

Veja aqui o levantamento completo feito pela Lupa e, logo abaixo, a lista definitiva da comissão que analisará o impeachment de Dilma Rousseff.O levantamento da Lupa no site do projeto Excelências foi realizado em 07/12/2015, na primeira tentativa de se formar a comissão, e em 17/03/2016, quando a comissão foi eleita. O projeto Excelências é atualizado constantemente, o que pode apresentar diferenças nos números finais apresentados no site da iniciativa.

 

PMDB: 8 TITULARES

João Marcelo Souza (MA)

Altineu Côrtes (RJ)

Leonardo Picciani (RJ)

Lúcio Vieira Lima (BA)

Mauro Mariani (SC)

Osmar Terra (RS)

Valternir Pereira (MT)

Washington Reis (RJ)

 

PTB: 3 TITULARES

Benito Gama (BA)

Jovair Arantes (GO)

Luiz Carlos Busato (RS)

 

DEM: 3 TITULARES

Elmar Nascimento (BA)

Mendonça Filho (PE)

Rodrigo Maia (RJ)

 

PRB: 2 TITULARES

Jhonatan de Jesus (RR)

Marcelo Squassoni (SP)

 

PSC: 2 TITULARES

Eduardo Bolsonaro (SP)

Marco Feliciano (SP)

 

SD: 2 TITULARES

Fernando Francischini (PR)

Paulo Pereira da Silva, Paulinho da Força (SP)

 

PEN: 1 TITULAR

Junior Marreca (MA)

 

PHS: 1 TITULAR

Marcelo Aro (MG)

 

PTN: 1 TITULAR

Bacelar (BA)

 

PT: 8 TITULARES

Arlindo Chinaglia (SP)

Henrique Fontana (RS)

José Mentor (SP)

Paulo Teixeira (SP)

Pepe Vargas (RS)

Vicente Candido (SP)

Wadih Damous (RJ)

Zé Geraldo (PA)

 

PR: 4 TITULARES

Edio Lopes (RR)

José Rocha (BA)

Maurício Quintella Lessa (AL)

Zenaide Maia (RN)

 

PSD: 4 TITULARES

Júlio Cesar (PI)

Marcos Montes (MG)

Paulo Magalhães (BA)

Rogério Rosso (DF)

 

PROS: 2 TITULARES

Titulares (2)

Eros Biodini (MG)

Ronaldo Fonseca (DF)

 

PCdoB: 1 TITULAR

Jandira Feghali (RJ)

 

PSDB: 6 TITULARES

Bruno Covas (SP)

Carlos Sampaio (SP)

Jutahy Junior (BA)

Nilson Leitão (MT)

Paulo Abi-Ackel (MG)

Shéridan (BA)

 

PSB: 4 TITULARES

Bebeto (BA)

Danilo Forte (CE)

Fernando Coelho Filho (PE)

Tadeu Alencar (PE)

 

PPS: 1 TITULAR

Alex Manente (SP)

 

PV: 1 TITULAR

Evair de Melo (ES)

 

PDT: 2 TITULARES

Flavio Nogueira (PI)

Weverton Rocha (MA)

 

PSOL: 1 TITULAR

Chico Alencar (RJ)

 

PTdoB: 1 TITULAR

Silvio Costa (PE)

 

PMB: 1 TITULAR

Weliton Prado (MG)

 

Rede: 1 TITULAR

Aliel Machado (PR)

 

PP: 5 TITULARES

Aguinaldo Ribeiro (PB)

Jerônimo Goergen (RS)

Júlio Lopes (RJ)

Paulo Maluf (SP)

Roberto Brito (BA)

 

*Revisamos os números às 23h28 do dia 17 de março e atualizamos a informação sobre o PT. O partido tem cinco de seus oito representantes na comissão com ocorrências registradas pelo site Excelências – não quatro como informado anteriormente.

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo