A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Reprodução GloboNews
Reprodução GloboNews

Paes: ‘Rio fez 150 quilômetros de BRT e um VLT de 26 quilômetros’. Será?

Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
22.jul.2016 | 17h00 |

Em entrevista concedida ao programa “Diálogos com Mário Sérgio Conti” na noite de quinta-feira (21), o prefeito do Rio, Eduardo Paes, falou sobre as ações e os programas realizados pela prefeitura e pelo governo do estado durante a preparação para os Jogos Olímpicos. A Lupa checou algumas de suas frases.

Ao comentar a mobilidade urbana do Rio, Paes destacou dois projetos: o Bus Rapid Transit (BRT) e o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). Sobre eles, disse:

“O Rio fez 150 quilômetros de BRT e um VLT de 26 quilômetros”

AINDA É CEDO PARA DIZER

O sistema BRT do Rio é composto por quatro linhas: Transolímpica, Transoeste, Transcarioca e Transbrasil. A última delas ainda está em construção.

Segundo o site oficial do BRT e a Secretaria Municipal de Transportes, a Transoeste tem 58 quilômetros de extensão (contando o trecho do Lote Zero). A Transcarioca tem 39 quilômetros, e a Transolímpica, 26 quilômetros. A soma atinge  117 quilômetros, abaixo do mencionado por Paes na entrevista concedida a Conti.

De acordo com a Secretaria Municipal de Transportes, a Transbrasil esta prevista para ser inaugurada em 2017, com 24 quilômetros de extensão. Se for inaugurada com esse tamanho, o total de quilômetros coberto pelo BRT carioca chegará a 141.

Quanto ao VLT, o dado de Paes também pode ser classificado como “ainda é cedo para dizer”. Só está em operação o primeiro trecho do sistema, ligando a Rodoviária ao aeroporto Santos Dumont. Ele tem apenas 7 quilômetros de extensão, informa a secretaria. De acordo com o projeto inicial do VLT, ele terá 28 quilômetros quanto pronto.


Paes também falou sobre a situação de violência, recentemente classificada por ele como “terrível”:

“O índice de homicídio por 100 mil habitantes reduziu, de 2009 para cá, pela metade. De 40 para 20 por 100 mil habitantes”

EXAGERADO

Segundo dados do Instituto de Segurança Pública (ISP), em 2009, o índice de homicídio doloso por 100 mil habitantes na cidade do Rio de Janeiro era de 34,4. Em 2015, dado mais recente disponível, a taxa da capital havia caído para 18,5, numa redução de 46,2%.

O índice de homicídio doloso por 100 mil habitantes no estado do RJ, por sua vez, era de 36,6 em 2009. No ano passado, foi de 25,4, numa redução de 30,6%.

Em ambos os casos, a retração na taxa de homicídios dolosos não chega à metade (50%), como mencionou o prefeito.

Se o cálculo tomasse com base o indicador de “letalidade violenta”, que engloba os homicídios dolosos, os decorrentes de oposição à intervenção policial, os latrocínios (roubo seguido de morte) e as lesões corporais seguidas de morte, também não se obteria a taxa e aos dados citados pelo prefeito.

Em 2009, a letalidade violenta da cidade do Rio era de 46,3. No ano passado, foi de 24,1. A redução foi de 47,9%.

No estado, a letalidade violenta passou 44,9 em 2009 para 30,3 em 2015. A queda foi de 32,5%.

A Lupa levantou no site do ISP os dados relativos aos últimos meses de 2016. O total de assassinatos registrados entre janeiro e maio deste ano já supera o computado no mesmo período de 2015. Nos cinco primeiros meses de 2016, foram 2.083 homicídios dolosos contra 1.833 no ano passado.


O prefeito do Rio também comentou o avanço da despoluição da Baía de Guanabara:

“Fomos de 15% de esgoto tratado (em 2009) para 50%”

VERDADEIRO

Segundo a assessoria de imprensa da Cedae, a Secretaria da Casa Civil do RJ e o Ministério do Esporte, em 2007, o índice de esgoto tratado na área da Baía de Guanabara era de 11%. Atualmente é de 51%.

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo