A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Em 2012, Londres sediou sua terceira edição dos Jogos| Divulgação: COI
Em 2012, Londres sediou sua terceira edição dos Jogos| Divulgação: COI

As medalhas são recicladas? O que era o cartão rosa? Mate a curiosidade olímpica

| Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
05.ago.2016 | 18h53 |

A cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro começa às 20h desta sexta-feira (5), atraindo a atenção de torcedores em mais de 200 países. Por trás da organização e da realização de um evento desse porte, há milhares e milhares de informações e dados. Muitos deles, curiosos.

Ao preparar sua cobertura olímpica, a Lupa separou algumas dessas informações para integrar a série “Dados de Ouro”. Você sabia, por exemplo, que só um país ganhou medalhas em todas as edições dos Jogos Olímpicos? Tem ideia de quantos países têm apenas um bronze em toda sua história? Sabe como são feitas as medalhas da Rio 2016?  E as modalidades em que os brasileiros são mais fortes?

Veja abaixo o resultado de mais uma parceria da Lupa com o jornal Nexo:

“Os Jogos Olímpicos acontecem a cada quatro anos desde 1896”

FALSO

Desde 1896, quando os Jogos da Era Moderna começaram a ser disputados, 30 edições do evento foram programadas, mas apenas 27 foram executadas. Berlim 1916, Helsinki 1940 e Londres 1944 foram canceladas por conta das duas Guerras Mundiais.

A escolha dessa periodicidade é uma referência aos Jogos da Antiguidade, quando eles também ocorriam com essa diferença de tempo. Na época, era atribuído ao evento um caráter religioso.


“Nenhum país conseguiu participar de todas as edições dos Jogos Olímpicos”

FALSO

Austrália, Grécia, Reino Unido e Suíça participaram de todas as edições do Jogos da Era Moderna, ou seja, competem desde 1896. Só o Reino Unido, no entanto, conseguiu ganhar medalhas em absolutamente todas elas.


 A Guerra Fria não teve nenhum reflexo nos Jogos Olímpicos”

EXAGERADO

Os Estados Unidos só deixaram de participar de uma única edição dos Jogos da Era Moderna: a de 1980. O mundo vivia a Guerra Fria, e a competição foi realizada em Moscou, capital da antiga União Soviética. Na época, os americanos alegaram que não participariam do evento como forma de denunciar a invasão do Afeganistão pelos soviéticos no ano anterior.

Curiosamente os Estados Unidos não suspenderam sua participação nos Jogos Olímpicos de Atenas 2004, Pequim 2008 e Londres 2012, quando eles próprios estavam em guerra, em território afegão.


“Os anéis olímpicos representam os cinco continentes e a universalidade dos Jogos”

VERDADEIRO, MAS

As argolas entrelaçadas foram criadas pelo barão francês Pierre de Coubertin e apareceram pela primeira vez nos Jogos de 1914. Quando lançado, o símbolo olímpico buscava representar os cinco continentes e demonstrar a universalidade da competição esportiva. Mas a história dos Jogos na Era Moderna revela um desequilíbrio entre as argolas. A África é o único continente que nunca sediou a competição. No quadro geral de medalhas, aparece com 20 vezes menos medalhas do que a toda-poderosa Europa. São 353 prêmios africanos contra 7.271 europeus.


“As mulheres sempre participaram dos Jogos Olímpicos modernos”

FALSO

A participação feminina não começou em 1896. Só em 1900. A primeira leva de mulheres a disputar uma edição dos Jogos reuniu, em Paris, 22 atletas de cinco países. O grupo competiu em apenas duas modalidades: golfe e tênis. A primeira participação feminina brasileira nos Jogos Olímpicos só aconteceu em Los Angeles 1932, com a nadadora Maria Lenk.


“O número de mulheres nunca superou o de homens nos Jogos Olímpicos”

VERDADEIRO

Os Jogos Rio 2016 foram os que contaram com a maior participação feminina até hoje: 45% dos atletas são mulheres. Londres 2012 fica em segundo lugar na lista da maior participação feminina até hoje. Do total de 10.567 atletas que foram à capital britânica, 4.675 (ou 44,2%) eram mulheres. Esta também foi a primeira edição dos Jogos da Era Moderna em que as mulheres disputaram todas as modalidades oferecidas aos homens. Em Pequim 2008, o índice de participação feminina foi de 42,4%, com 4.637 atletas. Em Atenas 2004, foi de 40,7%, com 4.329 mulheres. Até Helsinki 1952, as atletas representavam menos de 10% do total de competidores.


“O número de medalhas cresceu 10 vezes desde a primeira edição dos Jogos modernos”

EXAGERADO

Nos Jogos de 1896, em Atenas, foi distribuído entre os atletas um total de 122 medalhas de ouro, prata e bronze. Eram nove modalidades em disputa. Em Londres 2012, foram 961 medalhas, sete – e não dez – vezes mais do que na primeira edição dos Jogos da Era Moderna. Na edição inglesa, houve 26 modalidades olímpicas. 

O número total e as modalidades variam a cada quatro anos, o que faz com que o quadro de medalhas também oscile. Nos Jogos do Rio, serão 28 esportes. Rugby e golfe acabam de ser incluídos, acarretando aumento no total do quadro de medalhas. Confira abaixo a série histórica das medalhas (ouro, prata e bronze somadas) em cada edição dos Jogos.


“As medalhas da Rio 2016 são feitas de material reciclado”

VERDADEIRO

A Casa da Moeda produziu um total de 2.488 medalhas olímpicas para a Rio 2016. Cada peça pesa cerca de 500 gramas. As de prata têm 30% de material reciclado em sua composição. São resíduos de espelhos, desembaçadores de para-brisas automotivos, de soldas que contêm prata e chapas de raio-x. As de bronze também têm 30% de material reciclado oriundo de resíduos industriais da própria Casa da Moeda. As de ouro têm 494 gramas de prata e apenas 6 gramas de ouro. As fitas de todas as medalhas são produzidas com garrafas PET recicladas.


“Houve um tempo em que um cartão rosa certificava a ‘feminilidade’ das atletas”

VERDADEIRO

Entre os Jogos de 1968, no México, e 1996, em Atlanta, mulheres com indícios corporais fora dos padrões de “feminilidade”, ou seja, que apresentavam muitos pelos, voz grossa, seios pouco evidentes e musculatura muito desenvolvida, eram submetidas a exames de laboratório e um teste ginecológico com inspeção visual da genitália. As que passassem por essas etapas recebiam um cartão rosa e tinham autorização para competir.


“Atenas é a cidade que sediou mais Jogos Olímpicos”

FALSO

Londres é a cidade que mais sediou os Jogos Olímpicos da Era Moderna: 1908, 1948 e 2012. Apesar de ser o berço da disputa esportiva e de ter servido de sede para diversas edições dela na Antiguidade, Atenas empata no segundo lugar do ranking ao lado de Paris e Los Angeles. A cidade grega teve duas edições dos Jogos, em 1896 e em 2004. Paris foi cenário da disputa olímpica em 1900 e 1924, e Los Angeles, em 1932 e 1984.

Vale destacar que existe uma concentração de cidades-sede no continente europeu. Ele já abrigou 16 edições dos Jogos. Isto é mais do que a soma de todos os outros continentes. Os Estados Unidos, sozinhos, já sediaram quatro Jogos Olímpicos, mas em cidades diferentes.


“Os Estados Unidos são a maior potência olímpica do planeta”

VERDADEIRO

No ranking de medalhas distribuídas em todas as edições dos Jogos Olímpicos da Era Moderna, os Estados Unidos aparecem em primeiro lugar com 982 medalhas de ouro, 769 de prata e 675 de bronze, num total de 2.426 medalhas. Esse total é mais do que o dobro do número de medalhas apresentado pelo segundo lugar no ranking: a antiga União Soviética. Veja abaixo outras comparações possíveis com a máquina olímpica americana:


“Muitos países ganham só uma medalha”

VERDADEIRO

Vinte e oito países têm em toda sua história apenas uma medalha olímpica.

Burundi, Emirados Árabes Unidos e Granada têm um ouro cada.

Antilhas Holandesas, Botsuana, Costa do Marfim, Chipre, Gabão, Guatemala, Nicarágua, Montenegro, Paraguai, Senegal, Sudão, Togo e Ilhas Virgens têm uma prata olímpica cada um.

Barbados, Bermuda, Dijbouti, Eritreia, Guiana, Iraque, Macedônia, Mauritius, Nepal, Níger  e Togo têm, por sua vez, apenas um bronze olímpico cada um


“Brasil é tão ruim no futebol olímpico quanto os Estados Unidos, no beisebol olímpico”

EXAGERADO

Apesar de ser pentacampeão em Copas do Mundo, o Brasil nunca ganhou uma medalha de ouro no futebol olímpico. Potência no beisebol, os Estados Unidos só ganharam um ouro na versão olímpica desta modalidade. Enquanto o esporte era parte dos Jogos, Cuba foi o país que mais medalhas de ouro ganhou.*


“Futebol, basquete e vôlei sempre foram modalidades olímpicas”

FALSO

Apenas cinco modalidades apareceram em todas as edições dos Jogos Olímpicos da Era Moderna: atletismo, ciclismo, esgrima, ginástica e natação. O futebol não foi disputado nos Jogos de 1896 e 1932. O basquete estreou na edição de 1904, mas só ficou fixo entre as modalidades olímpicas depois de 1936. O vôlei, por sua vez, só passou a fazer parte da competição a partir de 1964.


“O Brasil vem melhorando sua performance nos Jogos”

VERDADEIRO

O Brasil começou a participar dos Jogos Olímpicos em 1920, quando conquistou três medalhas: uma de ouro, uma de prata e uma de bronze. Como naquela época existiam poucos países competindo, os brasileiros ficaram em 15º lugar, a melhor posição já obtida pelo país numa disputa olímpica.

Analisando pela classificação na competição, pode-se pensar que o Brasil piorou de lá para cá, uma vez que, em Londres 2012, o país ficou em 22º, mas essa leitura não é mais correta.

Em Londres, o Brasil conquistou 17 medalhas: três de ouro, cinco de prata e nove de bronze. Neste sentido, ele cresce. Observe no gráfico a alta no volume de medalhas olímpicas.


“A Tocha Olímpica mostrou o Brasil de verdade”

EXAGERADO

A Lupa já mostrou que o Índice de Desenvolvimento Humano das 327 cidades que a tocha olímpica visitou é superior à média brasileira. Quando analisado o percentual de extrema pobreza e a esperança de vida, há similaridade entre a média nacional e a dos municípios que participaram do revezamento. Já no índice do analfabetismo, há uma inversão. Enquanto a média nacional é de 9,6% da população, a das cidades que tiveram a presença da chama olímpica foi maior: 11,9%.

*Nota: Informação atualizada às 9h16 do dia 15/8

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo