A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Eleitores vão às urnas em outubro. Foto: Divulgação
Eleitores vão às urnas em outubro. Foto: Divulgação

O perfil dos candidatos reflete o de seus eleitores?

| Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
22.ago.2016 | 12h08 |

Quem são os candidatos das eleições municipais 2016? Eles representam o eleitor brasileiro? Com base nos dados oficiais disponíveis na plataforma DivulgaCand, mantida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a Lupa constatou que há um abismo entre os 485.889 políticos em campanha  e os 144.088.912 eleitores que eles pretendem representar a partir de 2017.

O perfil médio do eleitor brasileiro é o seguinte: o de uma mulher, com idade entre 30 e 34 anos e sem o ensino fundamental completo, tendo menos de nove anos de escolaridade. Já o perfil médio do candidato nas eleições de 2016 (tanto para o cargo de prefeito, vice-prefeito como de vereador) é o de um homem que tem entre 45 e 49  anos (ao menos quinze a mais do que a média do eleitorado) e já completou o ensino médio, tendo acumulado mais de 12 anos de estudo.

A Lupa checou se esta disparidade observada nacionalmente se repete também em quatro das principais capitais do país: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Salvador. Nessa pesquisa, constatou novamente que o perfil do eleitorado médio desses municípios também diverge do perfil médio daqueles que pretendem se eleger prefeitos e vereadores.

EM SÃO PAULO

A capital paulista tem 8.886.324 eleitores. O perfil médio deles é o de uma mulher, com idade entre 30 e 34 anos e o ensino médio já completo (12 anos de estudo). Há, na cidade, 1.297 candidatos aos cargos de prefeito, vice-prefeito e vereador. O perfil médio desses políticos é o de um homem, com entre 50 e 54 anos (ao menos vinte anos mais velho do que a média) e com ensino superior completo (mais de 16 anos de estudo).

NO RIO DE JANEIRO

Há na capital fluminense 4.898.045 eleitores. O perfil médio deles também é o de uma mulher, com idade entre 35 e 39 anos e ensino médio incompleto (menos que 12 anos de estudo). Entre os 1.636 candidatos, o perfil médio é totalmente divergente. Trata-se de um homem, com idade entre 50 e 54 anos e ensino superior completo (mais de 16 anos de estudo).

EM BELO HORIZONTE

O perfil do eleitor médio de Belo Horizonte é parecido com o de Salvador. Entre as 1.927.460 de pessoas com direito a voto na capital mineira, a maioria é mulher, com idade entre 35 e 39 anos e o ensino fundamental incompleto (menos de nove anos de estudo). O perfil médio dos políticos em disputa em Belo Horizonte (são 1.451) é o de um homem, com idade entre 45 e 49 anos e ensino superior completo (12 anos de estudo).

EM SALVADOR

Na capital baiana, há 1.948.154 de eleitores. O perfil médio deles é de mulheres com idade entre 35 e 39 anos e ensino fundamental incompleto. Entre os 1.034 candidatos, o perfil mais comum é o de um homem, com idade entre 45 e 49 anos e ensino superior completo (mais de 16 anos de estudo).

COTAS

Também se destaca nesse levantamento o percentual de candidatas mulheres em nível nacional e nas quatro capitais. Nas cinco análises feitas pela Lupa, o valor é de 31%. Tal percentual é muito próximo à cota mínima de 30% que cada partido deve ter para um gênero.

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo