A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Foto: Reprodução de vídeo
Foto: Reprodução de vídeo

Lupa checou o debate da Record com candidato a prefeito de São Paulo

Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
26.set.2016 | 11h46 |

A Lupa acompanhou na noite do último domingo (25) o debate realizado pela Rede Record e pelo portal R7 com os principais candidatos a prefeito de São Paulo. O encontro contou com a participação de seis políticos: Celso Russomanno (PRB), João Doria (PSDB), Marta Suplicy (PMDB), Fernando Haddad (PT), Luiza Erundina (PSOL) e Major Olímpio (Solidariedade). Veja abaixo o resultado das checagens:

Ao falar sobre o programa Braços Abertos, mantido pela atual administração para atender a dependentes químicos na região central de São Paulo, o candidato do PSDB, João Doria, criticou o atual prefeito e candidato à reeleição pelo PT Fernando Haddad:

“O Braços Abertos é um programa fracassado, não funcionou. Aliás, o Datafolha, em pesquisa, indicou que 72% das pessoas pesquisadas criticam e consideram seu programa um programa malsucedido”

RECORTES-POSTS-EXAGERADO

Em pesquisa divulgada pelo Datafolha em junho de 2016, o instituto fez a seguinte pergunta:  “Você considera esse tipo de programa muito, um pouco ou nada eficiente para a recuperação de dependentes de crack ?”

Do total de pessoas ouvidas, 27% consideraram que o Braços Abertos era “nada eficiente”.  Outros 45% dos pesquisados avaliaram o programa como “um pouco eficiente”. Apenas 21% acreditam que um programa como o Braços Abertos seja “muito eficiente” para a recuperação de dependentes de crack.

Somente somados os que consideraram o programa “nada eficiente” e “um pouco eficiente” seria possível chegar a 72%. No entanto, o instituto não faz essa soma ao apresentar a pesquisa.


Ao defender o programa para dependentes químicos criado por sua administração, Fernando Haddad (PT) disse:

“Essa pesquisa do Datafolha deu 69% de apoio (ao Braços Abertos)”

verdadeiro

A mesma pesquisa do Datafolha que consultou a avaliação da população sobre o programa também fez a seguinte pergunta:  “Você é a favor ou contra esse programa da prefeitura destinado a dependentes de crack e moradores de rua da região da Luz ?”

A resposta da população foi: 69% a favor, 22% contra, 4% se disseram indiferentes e outros 4% não souberam responder.


 

Em um embate com Marta Suplicy (PMDB),  o candidato Major Olímpio (SD) acusou a adversária de ter favorecido estilistas de moda quando foi ministra da Cultura:

“A senhora como ministra liberou R$ 3,5 milhões para um estilista fazer um desfile em Paris”

RECORTES-POSTS-EXAGERADO

No dia 22 de agosto de 2013, quando a candidata era ministra da Cultura, a pasta publicou no Diário Oficial da União e em seu site que autorizaria projetos do segmento de moda a buscarem patrocínio via renúncia fiscal. O estilista Pedro Lourenço seria um dos três primeiros a usufruir desse benefício, levando o “estilo Carmen Miranda” à semana de moda de Paris. O valor autorizado para captação era, no entanto, de  R$: 2.830.106,00.

O assunto teve ampla cobertura da imprensa, uma vez que a proposta havia sido rejeitada pela Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (Cnic), que decide quem pode e quem não captar via Lei Rouanet, e só passara oficialmente após o aval expresso de Marta como ministra. Releia reportagens de Folha e O Globo.

No mesmo pacote, também constava a autorização de captação para os estilistas Alexandre Herchcovitch (R$ 2,6 milhões, para mostra de moda em São Paulo e Nova York) e Ronaldo Fraga (R$ 2 milhões, para participação na São Paulo Fashion Week).

Na época, Marta justificou a medida dizendo que se tratava de “soft power”. Em nota enviada aos jornais escreveu: “O Brasil luta há muito tempo para se introduzir e ter uma imagem forte na moda internacional. Essa oportunidade tem como consequência o incremento das confecções e gera empregos. E é um extraordinário ‘soft power’ no imaginário de um Brasil glamouroso e atraente.”

Depois da polêmica, no entanto, Pedro Lourenço decidiu cancelar os desfiles em Paris. Sua assessoria de imprensa informou que não houve “tempo hábil” para captação de dinheiro e que o estilista faria desfiles virtuais.


 

Ao falar das políticas para atender às mulheres paulistas, a candidata do PMDB, Marta Suplicy, afirmou que:

“Eu vou pôr guarda em todas as portas de escola, três guardas”

RECORTES-POSTS-DE-OLHO

Para efetivar a proposta feita, a candidata colocaria quase todo o efetivo da guarda somente nas portas das escolas.

São Paulo possui 3.532 unidades escolares. Somente na administração direta, segundo a Secretaria Municipal de Educação, existem atualmente 1.848 escolas (excluindo as 1.325 creches conveniadas e os 359 centros de educação infantil também de administração indireta).

Já o efetivo total da guarda municipal reúne 5.950 guardas, de acordo com a diretoria do Sindicato dos Guardas Civis Metropolitanos de São Paulo.

Para colocar três guardas em cada uma dessas 1.848 escolas seriam necessários, portanto, 5.544 guardas.


 

O candidato Major Olímpio (SD) questionou Celso Russomanno (PRB) sobre o envolvimento do sócio dele Augusto Mendonça Neto na Operação Lava-Jato. Russomanno disse que:

“Com relação ao Augusto, ele foi o primeiro a delatar os esquemas porque ele não aguentava mais ser extorquido pelos funcionários da Petrobras”

RECORTES-POSTS-EXAGERADO

Augusto Mendonça Neto fechou acordo de delação premiada em 29 de outubro de 2014. Ele, no entanto, não foi o primeiro a fazer um acordo desse tipo na operação que investiga desvios de recursos públicos da Petrobras. Antes dele já tinham realizado acordos desse tipo, segundo o Ministério Público Federal, ao menos outros dois delatores.

Paulo Roberto Costa assinou acordo de colaboração com o MPF em 27 de agosto de 2014. Ele foi homologado pelo STF em 29 de setembro de 2014. Depois dele, segundo os procuradores, foi a vez do doleiro Alberto Youssef, em 2 de outubro.


 

A candidata do PSOL, Luiza Erundina, e o prefeito e candidato Fernando Haddad (PT) discutiram sobre a regulamentação de aplicativos para o transporte. Erundina afirmou:

“Acho que é preciso também dar atenção a outro segmento que prestou esse serviço durante tantos anos. São 35 mil taxistas (em São Paulo)”

Recortes-Posts_INSUSTENTAVEL

Segundo a assessoria de imprensa do Sinditaxi (Sindicato dos Taxistas Autônomos de São Paulo), a cidade tem hoje cerca de 42 mil taxistas. Já o dado estimado de táxis é menor, de 37 mil. Os números representam apenas estimativas porque, segundo a assessoria da entidade, alguns taxistas dividem o mesmo veículo com outros motoristas. Não existem, portanto, dados públicos atualizados sobre o total de taxistas no município. Apenas estimativas. É possível que Erundina tenha minimizado o número de taxistas.


 

O prefeito e candidato Fernando Haddad (PT) também defendeu a regulamentação feita por ele de aplicativos como Uber. Ao falar do assunto, disse:

“Fui (…) o único do país a regulamentar essa atividade”

Recortes-Posts_FALSO

No dia 25 de agosto deste ano, a Prefeitura de Vitória publicou no Diário Oficial um decreto regulamentando a atuação do Uber e de outros aplicativos do tipo na capital do Espírito Santo. Fernando Haddad, não foi, portanto, o único a tomar essa medida.


 

Ao longo do debate, em mais de uma oportunidade, Marta Suplicy (PMDB) afirmou que:

“Fiz uma prefeitura que foi avaliada como a melhor prefeitura nos últimos 30 anos pela Folha de S. Paulo”

RECORTES-POSTS-VERDADEIRO-MAS

A pesquisa mencionada pela candidata é de 2013 e não inclui, portanto, a gestão do prefeito Fernando Haddad. A pesquisa indica que, para 25% dos entrevistados, Marta fez a melhor gestão em São Paulo, seguida por Mário Covas, com 16%, e José Serra, com 15%.


 

O candidato Celso Russomanno (PRB) criticou a candidata do PMDB, Marta Suplicy, pelo tempo em que ela integrou o Partido dos Trabalhadores. O candidato afirmou que:

“Ela disse textualmente que o Lula e, isso está gravado e publicado pelos jornais, que o Lula era um Deus, que a Dilma era muito bem avaliada e que ela, como fez muita coisa na vida, ela, Dilma e ele iam fazer um trio perfeito, quando ela assumiu o Ministério do Turismo.”

RECORTES-POSTS-VERDADEIRO

Marta Suplicy (PMDB) realmente disse a frase anunciada por Russomanno na véspera de sua posse no Ministério da Cultura em 2012. Na mesma época, ela também entrou na campanha para eleger o então candidato do PT, Fernando Haddad.

Ela disse à época: “O trio Lula , Dilma, Marta é muito forte. O Lula é um deus! Dilma é bem avaliada e eu tenho o apelo de quem fez. Então, com a entrada desse trio, vai dar certo. Eu combinei que ia entrar na hora e agora estou entrando.”

Os jornais O Globo e O Estado de S. Paulo registraram o momento.

Nota 1: A Lupa abre espaço para as campanhas contestarem as informações e mandarem seus posicionamentos sobre as checagens acima. Por favor, escreva para lupa@lupa.news 

Leia outras checagens de ‘Eleições RJ’ / De ‘Eleições SP’Outras do mês / Home

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo