A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Divulgação
Divulgação

Hillary derrapa ao falar de escândalo envolvendo seu e-mail pessoal

Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
07.nov.2016 | 09h30 |

Ao longo da corrida pela Casa Branca, a candidata democrata, Hillary Clinton, errou diversas vezes ao comentar o uso de uma conta pessoal de e-mail para tratar de assuntos oficiais do governo Barack Obama. O site de checagens americano Politifact, parceiro da Lupa, acompanhou de perto toda a campanha eleitoral dela e apontou esses deslizes. Veja abaixo uma coleção de cinco frases falsas de Hillary Clinton.

No dia 26 de maio, em entrevista ao canal de televisão ABC, a candidata democrata à presidência dos Estados Unidos falou sobre ter sido flagrada usando uma conta de e-mail pessoal para tratar de assuntos do Departamento de Estado americano. Ao comentar o assunto, ela afirmou:

“É permitido [usar e-mail pessoal]”

FALSO

De acordo com apuração do Politifact, não há registros de que alguém no governo americano tenha tentado impedir Hillary de trabalhar como secretária de Estado usando sua conta de e-mail particular. Também não há registros de que ela tenha procurado saber se era permitido usar sua conta pessoal ou  não. Fato é que, desde 2005, o Departamento de Estado tem uma política interna muito clara. Ela define que “todos os empregados devem usar os sistemas de informação do departamento para realizar suas tarefas profissionais”. Confira a íntegra da checagem do Politifact aqui.


Em 31 de julho, durante entrevista ao Fox News Sunday, Hillary Clinton voltou a falar do escândalo envolvendo sua conta de e-mail. Lembrou o depoimento que prestou ao FBI e citou o diretor geral do órgão, James Comey:

“Ele [Comey] disse que minhas respostas foram verdadeiras e que o que eu lhe disse é consistente com o que eu falei para o povo americano”

FALSO

A apuração do Politifact mostra que Hillary foi muito além da conta. Ao comentar o depoimento que ela havia prestado ao FBI a portas fechadas, James Comey afirmou que “não havia base alguma para concluir que ela (Hillary) havia mentido”. No entanto, o diretor do órgão criticou publicamente algumas afirmações feitas pela candidata democrata sobre o caso. No Congresso, por exemplo, Comey foi perguntado sobre se era verdade que não havia conteúdo confidencial no e-mail particular de Hillary. Sua resposta foi: “Isso não é verdadeiro. Há material confidencial entre os e-mails recebidos e enviados”. Confira a checagem do Politifact aqui.


Em abril, numa das edições do programa Meet the Press, a democrata Hillary Clinton disse o seguinte:

“Sou a única candidata nas primárias democratas, ou talvez até nos dois lados, a ser atacada por anúncios pagos por Wall Street e gestores de fundos”

FALSO

Levantamento feito pelo Politifact.com mostra que houve anúncios pagos por grupos financeiros contra praticamente todos os candidatos que participaram da disputa presidencial deste ano. Houve financiamento de anúncios contra Bernie Sanders, que disputou as primárias democratas contra Hillary, e anúncios contra o candidato republicano, Donald Trump, por exemplo. Ainda, vale destacar que Wall Street contribuiu com doações tanto para os democratas quanto para os republicanos. Hillary recebeu doações do setor. Confira a checagem do Politifact aqui.


Num discurso que fez em Iowa em 20 de janeiro, Hillary Clinton falou sobre terrorismo e o avanço do Estado Islâmico.

“Sou a único candidata, nos dois lados, que mostrou um plano específico sobre como combater o Estado Islâmico”

FALSO

Ao menos sete candidatos, tanto do Partido Democrata quanto do Partido Republicano, divulgaram planos para enfrentar a organização jihadista. O Politifact analisou as propostas de Jeb Bush e Marco Rubio, por exemplo, e detectou que elas eram tão longas e detalhadas quanto as de Hillary. Confira a checagem do Politifact aqui.


Em 14 de julho, num evento de campanha no estado da Virginia, Hillary Clinton falou sobre economia:

“Eu sou a única candidata que disse que não vai elevar os impostos da classe média”

FALSO

Levantamento feito pelo site Politifact mostra que 15 dos 17 pré-candidatos republicanos à presidência assinaram documentos prometendo não elevar impostos. São eles: Ted Cruz, Marco Rubio, Rand Paul, Rick Santorum, John Kasich, Chris Christie, Bobby Jindal, Ben Carson, Carly Fiorina, Jim Gilmore, George Pataki, Rick Perry, Mike Huckabee, Lindsey Graham e Scott WalkerConfira a checagem do Politifact aqui.

*Esta reportagem foi publicada na edição da Revista Época em 5 de novembro de 2016.

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo