A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Crivella fez seu discurso de posse na Câmara dos Vereadores | Crédito: Reprodução
Crivella fez seu discurso de posse na Câmara dos Vereadores | Crédito: Reprodução

Crivella toma posse usando dados equivocados sobre eleição e PIB

Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
03.jan.2017 | 09h00 |

No discurso que fez na Câmara dos Vereadores no último domingo, o prefeito Marcelo Crivella mencionou Deus sete vezes, citou Edir Macedo, líder da Igreja Universal do Reino de Deus, da qual faz parte, e listou uma série de dados – alguns corretos, outros nem tanto. Veja a seguir:

“Segundo os institutos de pesquisa, 90% dos evangélicos do Rio de Janeiro no segundo turno votaram conosco”

FALSO

Não existe nenhuma pesquisa que cruze votos computados nas urnas em outubro de 2016 com crença ou religião. O que há são levantamentos de intenção de voto realizados antes do pleito. A última pesquisa DataFolha sobre a eleição carioca, realizada em 29 de outubro, por exemplo, mostrou que Crivella teria 92% dos votos válidos entre os evangélicos pentecostais. Entre os não-pentecostais, no entanto, seu percentual era bem menor: de 80%. Procurada, a assessoria do prefeito não retornou.


“[Queremos priorizar] Nossas mais de 1.500 unidades educacionais”

VERDADEIRO

De acordo com a Secretaria Municipal de Educação, a rede de ensino do Rio tem 1.527 unidades sendo que 1.013 delas são escolas do ensino fundamental (que vai do 1º ao 9º ano) e 514 de educação infantil.


“[Essas unidades educacionais são] conduzidas por mais de 60 mil servidores”

EXAGERADO

Ainda segundo dados da Secretaria de Educação, a cidade do Rio tem 41.147 professores e 15.240 servidores, totalizando 56.387 servidores no setor. A diferença entre o número real e o citado por Crivella é de 3.613, quase o triplo da quantidade de servidores que atuam, por exemplo, como secretário nas escolas municipais. Procurada, a assessoria do prefeito não comentou.


“O PIB [Produto Interno Bruto] da cidade do Rio de Janeiro caiu 1,3% de 2013 a 2014 enquanto o PIB do total das capitais do Brasil cresceu 1,3% e o do Brasil cresceu 1,4%”

FALSO

De acordo com o IBGE, a variação do PIB nacional entre 2013 e 2014 foi de 0,5%. Inicialmente o valor divulgado foi de apenas 0,1%, mas, em seguida, ele foi revisto pela entidade. Com relação aos outros dados mencionados por Crivella, o instituto afirmou por meio de nota que “não divulga variações desse tipo”. Ao fazer o cálculo pelas variações nominais, ou seja, vendo o percentual de aumento ou queda no montante do PIB das capitais, o IBGE conclui que os números reais também são diferentes daqueles apontados por Crivella. No Rio, haveria um crescimento de 5,5%. No total das capitais brasileiras, de 10%. Procurada, a assessoria do prefeito também não comentou.


“Reduzimos para 12 o número de secretarias e à metade o número de cargos de comissão”

VERDADEIRO

No primeiro dia de governo, Crivella assinou uma série de decretos, publicados em uma edição extraordinária do Diário Oficial do Município do Rio. Entre as medidas, estão o corte de 50% dos cargos comissionados e a redução do número de secretarias para 12. A prefeitura tinha na gestão anterior 23 pastas.


“O emprego com carteira assinada perdeu de janeiro a novembro deste ano, segundo número do Caged, publicados essa semana, 136.089 postos de trabalho na nossa cidade”

EXAGERADO

De acordo com informações do Caged, o número de postos de trabalhos perdidos entre janeiro e novembro de 2016 foi de 116.046, ou seja, 20 mil a menos do que foi dito. A quantidade mencionada por Crivella estaria certa se ele incluísse o mês de dezembro de 2015 em seu cálculo.

(Com Marina Estarque)

** Esta reportagem foi publicada na edição de 3 de janeiro do jornal Folha de S.Paulo

ColunaFolhaValendo

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo