A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Ligue 180: as mentiras e verdades do debate sobre a violência de gênero

| Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
09.mar.2017 | 15h47 |

O número de denúncias de violência contra a mulher praticamente dobrou em um ano. Isso é o que mostra o mais recente balanço feito pelo Ligue 180, a central de atendimento à mulher mantido pelo governo federal. Segundo o documento divulgado na quarta-feira (8), Dia Internacional da Mulher, os relatos de agressão pularam de 76.651 em 2015 para 140.350 em 2016 – um aumento de 83%. No ano passado, o Ligue 180 chegou a receber 1,133 milhão de ligações, 50% a mais do que ao ano anterior. As denúncias mostram que também subiram o total de relatos de mulheres vítimas de cárcere privado e de estupro.

Com base nesse relatório, a Lupa preparou uma série de checagens para mostrar o que é verdadeiro e falso quando o assunto é a violência contra as mulheres. Veja o resultado:

“Mulheres em situação de violência dependem financeiramente dos agressores”

FALSO

Dos casos relatados ao Ligue 180, somente 36,63% das mulheres vítimas dependiam financeiramente dos agressores. Outras 63,37% se consideravam independentes economicamente deles.


“A violência contra a mulher atinge mais as negras”

VERDADEIRO

Segundo o último balanço do governo, 60,53% das denúncias de agressão registradas pelo Ligue 180 foram cometidas contra mulheres negras, sendo 49,44% contra pardas e 11,09% contra pretas. Na comparação, 38,22% dos atos violentos foram direcionadas a brancas. Um total de 0,76% a mulheres se declararam amarelas, e 0,49%, indígenas.


“Avançam as denúncias de cárcere privado”

VERDADEIRO

O Ligue 180 contabilizou 6.102 relatos de cárcere privado em 2016, um aumento de 54% em relação ao ano anterior. Isso significa uma média de 16,7 registros de mulheres privadas de liberdade e dispostas a registrar reclamação todos os dias.


16 mulheres denunciam ser vítimas de estupro todos os dias”

De acordo com o documento, foram 7.094 denúncias de violência sexual sofrida por mulheres em todo o ano de 2016. Destes, 6.045 relatos são de estupro, o que significa uma média de 16,5 mulheres vítimas deste crime por dia no país. As notificações dessa agressão subiram 121% em relação a 2015. A violência sexual inclui também exploração sexual (711 relatos) e assédio sexual no trabalho (338 relatos).


“Os agressores são pessoas desconhecidas das vítimas”

FALSO

Os dados colhidos pela central de atendimento do governo federal mostram que 65,91% das denúncias recebidas são de violência cometida por companheiros ou ex-companheiros. Desses, mais da metade, 53,41%, acontecem dentro de relacionamentos que duram mais de cinco anos.


“Casos de agressão contra a mulher costumam acontecer dentro de casa”

VERDADEIRO

A maioria dos relatos registrados pelo Ligue 180 em 2016 se referia à violência doméstica e familiar, somando 86,07% dos registros.


“Filhos também são vítimas de violência contra a mulher”

VERDADEIRO

Segundo o levantamento, 78,25% das vítimas de violência doméstica possuem filhos. Em 59,90% das denúncias, os filhos presenciaram a violência, sendo que em 22,27% dos casos eles também sofreram agressões.


A violência contra a mulher é esporádica”

FALSO

Das denúncias de agressão recebidas pelo Ligue 180, 67% aconteciam algumas vezes na semana, sendo que 37% ocorriam todos os dias.

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo