A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

A disputa verbal dos presidentes sobre a transposição do Rio São Francisco

Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
15.mar.2017 | 08h00 |

Na sexta-feira (10), o presidente Michel Temer inaugurou o Eixo Leste do Projeto de Integração do Rio São Francisco que começou a ser construído no governo do ex-presidente Lula, em 2007. Em meio ao clima de disputa política nacional, a conclusão dessa etapa da obra fez com o que Temer e seus antecessores, Lula e Dilma Rousseff, travassem uma disputa sobre quem fez o quê tanto por todo o nordeste. A Lupa conferiu algumas falas sobre o assunto.

Michel Temer, em 10 de março, disse que:

“Há pouco tempo, estivemos lá em Alagoas, em Maceió, entregando 133,5 mil cisternas”

FALSO

No dia 27 de dezembro de 2016, Temer esteve em Maceió e anunciou que investiria R$ 1 bilhão em diferentes projetos para melhorar o acesso à água da população do Norte e Nordeste. Entre esses projetos, estava a construção de 130 mil cisternas, uma espécie de reservatório subterrâneo de água. Ao contrário do que afirmou no último dia 10, naquele dia, Temer não entregou cisternas. Apenas anunciou que pretendia investir na construção delas. Além disso, juntas, todas as iniciativas anunciadas por ele naquele dia passariam a receber a partir de janeiro deste ano R$ 755 milhões  – e não R$ 1 bilhão. Elas beneficiariam 15 estados do Semiárido e da Amazônia. Não só Alagoas. O governo federal não comentou esta checagem.


O presidente também afirmou que:

“Para concluir a obra, foram necessários R$ 378,2 milhões, dinheiro que foi repassado entre maio e dezembro de 2016, durante a gestão Temer”

VERDADEIRO, MAS

No fim de 2015, bem antes de Temer assumir a presidência, o Congresso aprovou a Lei de Orçamento de 2016 (LOA). Nela, fixou-se que um total de R$ 1,352 bilhão seria destinado às obras de transposição do Rio São Francisco ao longo do ano passado. Não foi, portanto, uma conquista exclusiva do atual presidente. A verba prevista para o Eixo Leste, que foi inaugurado na sexta-feira, também já havia sido fixada por lei em R$ 396 milhões (página 7 da LOA). Esse total é R$ 17,8 milhões superior ao informado pelo presidente em seu discurso. Procurado para comentar o assunto, o ministério da Integração Nacional disse que o valor estipulado na LOA é o teto a ser utilizado e que o valor empregado foi o necessário para a conclusão do Eixo Leste. Confira a nota.


Em 9 de março, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, escreveu no seu Facebook  que:

“Em 2007, as obras (de transposição) começaram. A água começou a chegar a Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte”

EXAGERADO

As obras da transposição realmente começaram em 2007, no segundo mandato do ex-presidente Lula. O canteiro de obras foi inicialmente implantado pelo Batalhão de Engenharia do Exército e teve por meta a construção dos sete primeiros quilômetros dos canais de aproximação. Mas a água só começou a chegar efetivamente neste ano, com a inauguração do Eixo Leste. Ainda vale ressaltar que diversos membros do governo Lula prometeram publicamente que a obra estaria pronta em 2010. O Eixo Norte ainda está previsto para ser entregue só em janeiro de 2018. Procurada, a assessoria o ex-presidente disse que a mensagem “se refere ao presente. Poderíamos ter explicitado com “agora”, mas a compreensão no contexto atual é clara. O texto não está dizendo que as águas começaram a chegar em 2007″. Confira a  nota.


Em 7 de março, Dilma Rousseff, publicou em seu site que: 

“A obra jamais esteve paralisada durante a gestão de Dilma Rousseff”

FALSO

Relatório de acompanhamento de obras feito por uma Comissão Externa do Senado entre 2012 e 2014 registrou que, em novembro de 2012, quatro trechos da obra da transposição do rio São Francisco estavam parados. Por esse motivo, na época, o grupo presidido pelo então senador e hoje ministro do TCU Vital do Rêgo anunciou que acompanharia a evolução do trabalho. “O cronograma inicial (da transposição) já havia sido descumprido”, escreveram. A assessoria de Dilma não retornou.


Dilma Rousseff escreveu também que: 

“Nada menos do que 86,3% da obra estavam concluídos até abril do ano passado, quando havia 10,3 mil trabalhadores nos canteiros das obras” 

VERDADEIRO

As duas informações contidas na frase da ex-presidente realmente constam no relatório feito pelo Ministério da Integração Nacional em abril do ano passado. No relatório seguinte, elaborado em agosto de 2016, já pelo governo Temer, a obra estava com 89,9% de sua execução classificada como concluída e registrava 8.391 trabalhadores.

*Esta reportagem foi publicada na edição impressa do jornal Folha de S.Paulo do dia 15 de março de 2017

folha velho chico

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo