A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Divulgação/TSE
Divulgação/TSE

De olho no Tribunal Superior Eleitoral e no julgamento de Dilma e Temer

Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
03.abr.2017 | 06h50 |

Está marcado para começar amanhã – terça-feira (4) – o julgamento da ação que o PSDB protocolou no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pedindo a cassação do registro de candidatura de Dilma Rousseff e Michel Temer, reeleitos presidente e vice-presidente da República, respectivamente, nas eleições de 2014. De acordo com os tucanos, durante a campanha eleitoral, os dois praticaram crimes de abuso de poder político e econômico.

Para enriquecer o debate e fazer frente à provável desinformação que esse julgamento deve provocar no país, a equipe da Lupa coletou frases postadas nas redes sociais nos últimos dias e verificou o grau de veracidade delas. Veja abaixo o resultado:

“Dois anos com o processo na mão, e o TSE ainda pode ter pedido de vista”

VERDADEIRO

A ação de investigação judicial eleitoral 194358, protocolada pelo PSDB no TSE, data de 18 de dezembro de 2014 e reúne quatro processos que têm acusações semelhantes – contra a chapa presidencial eleita em 2014, por abuso de poder. De acordo com a assessoria do Tribunal Superior Eleitoral, qualquer ministro pode pedir vista do caso para ter mais tempo para apreciar a ação e eventuais novas provas. O jornal O Estado de S.Paulo tem publicado reportagens indicando que esse pedido de vista deverá ocorrer. O jornal O Globo tem escrito, por sua vez, que o Palácio do Planalto espera que isso aconteça, de forma a adiar o julgamento.


“A ministra Luciana Lóssio pode antecipar voto no processo de cassação de Temer”

VERDADEIRO, MAS

A ministra Luciana Lóssio deixa o TSE no dia 5 de maio, ao concluir seu segundo biênio na Corte. De acordo com a assessoria de imprensa do tribunal, ela – e qualquer outro ministro do TSE podem antecipar seu voto, fugindo da ordem de votação previamente estabelecida. Esse movimento, no entanto, só pode ser feito depois que o relator do caso, o ministro Herman Benjamin, se pronunciar. A mesma medida também poderá ser tomada pelo ministro Henrique Neves, outro que deixará o TSE em breve: no dia 16 deste mês.


“O Ministério Público Eleitoral recomendou que Temer seja cassado e que Dilma fique inelegível”

DE OLHO

Na última terça-feira (28), o vice-procurador-geral eleitoral, Nicolao Dino, protocolou no TSE documento sobre a ação do PSDB contra a chapa Dilma Rousseff-Michel Temer. De acordo com o MPE, o parecer com 132 laudas tem caráter sigiloso, “considerando que contém detalhada análise de provas e depoimentos”.

O relator do caso no TSE, o ministro Herman Benjamim, determinou que somente as partes e os ministros tenham acesso ao documento antes do julgamento marcado para começar na terça-feira.

Mas já houve notícias antecipando seu conteúdo. De acordo com apuração de bastidor feita pela GloboNews, por exemplo, o parecer do MPE fará – sim – essa recomendação.


“Ministro do TSE nomeado por Temer tem condenação por dano material”

VERDADEIRO

O advogado Admar Gonzaga, que foi nomeado pelo presidente Michel Temer para assumir o cargo de ministro efetivo do TSE no dia 17 de abril, está condenado na primeira e na segunda instâncias da Justiça de Brasília por ter causado, como advogado, dano material a um ex-candidato a vereador de Jundiaí (SP). O dano material causado foi ter prejudicado a candidatura de Santos em 2008, por não ter entrado com um recurso no prazo devido. Gonzaga recorre da condenação. O jornal O Estado de S.Paulo fez reportagem sobre o assunto no último fim de semana.


“(Admar Gonzaga) É um advogado ligado a partidos de direita, por ter atuado na refundação do PFL como DEM, nas fusões que originaram o PP”

VERDADEIRO, MAS

Currículo oficial disponível no site do TSE revela que o ministro Admar Gonzaga já advogou para o PPB, PFL, DEM e PSD. Mas é importante ressaltar que o mesmo documento indica que ele atuou também “como integrante do corpo jurídico da campanha da Presidenta Dilma Roussef (PT)”, que tinha Michel Temer (PMDB) como vice.

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo