A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Novidade: Google News inaugura seção de fact-checking para ajudar leitores

| Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
28.jun.2017 | 17h30 |

Pode ser difícil achar informação de qualidade em meio à grande produção de conteúdo que ocorre na rede todos os dias. Pensando em facilitar essa experiência para os leitores, o Google anunciou, nesta quarta-feira (28), diversas mudanças na interface do Google News,  sua plataforma de notícias. Uma das principais novidades é o bloco de fact-checking, uma cartela que mostra matérias recentes de veículos de checagem já na página inicial. Por enquanto, o novo Google News está disponível apenas na versão dos Estados Unidos.

“Nós queríamos dar mais destaque às checagens”, explicou Anand Paka, diretor de produto da empresa, em entrevista ao Instituto Poynter.

Agora, no lugar da antiga lista de hiperlinks, o Google News passa a ter um feed de notícias similar à lógica do Facebook. As matérias aparecem separadas em editorias e de acordo com o algoritmo do Google, tudo para prender a atenção do leitor. Além das editorias, é possível navegar entre uma seleção de notícias reunidas em “manchetes”, “locais” e “para você”. Nesta última, o usuário pode selecionar assuntos de interesse. 

“Antes, o Google News mostrava links demais e, com isso, acabava mostrando muito pouco. Os usuários não conseguiam se conectar com o jornalismo que esperavam encontrar aqui”, admitiu Paka.  

Há algum tempo, o Google criou um selo que auxilia o leitor a buscar um tema e identificar checagens produzidas a respeito dele. A Lupa, por exemploganhou o selo assim que a ferramenta chegou ao Brasil em 2017. 

Confira aqui o antes e depois da plataforma.

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo