A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Dois atentados, ao menos 15 mortos e duas notícias falsas circulando na web

| Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
24.ago.2017 | 07h00 |

O que o ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama e o marroquino Driss Oukabir, um dos suspeitos de ter cometido o atentado terrorista de Barcelona na semana passada, têm em comum? Nada.

Isso era assim até o último sábado (19), quando o site News Conservative publicou um texto afirmando que Obama e Oukabir eram primos de primeiro grau. Tratava-se de uma notícia longa que trazia até mesmo um suposto pronunciamento oficial do ex-presidente sobre o marroquino. Ao fim, a publicação sugeria que fosse aberta uma investigação contra Obama por sua proximidade com o suposto terrorista.

“Oukabir e Obama são primos de primeiro grau”Recortes-Posts_FALSONa reportagem que contém esta frase, no entanto, o News Conservative cita o portal The Last Line of Defense.org como fonte original da informação. Acontece que o próprio The Last Line of Defense se posiciona publicamente como um portal de sátiras, destinado a enganar conservadores.

No pé de sua página principal, ele estampa um selo que indica o gênero cômico e mostra um resumo de sua descrição institucional: “Tudo neste site é um trabalho satírico de ficção”. Na seção “sobre nós”, a página ainda reitera que suas publicações não são verdadeiras e conta que o criador do blog, Christopher Blair, se autodenomina “um troll liberal”.

A notícia falsa, que viralizou na internet, informava que o marroquino Driss Oukabir era “o sétimo filho da quinta esposa do tio paterno de Barack Obama” e que teria até sentado no Salão Oval em 2009. A visita à Casa Branca teria sido um presente de Obama ao primo.

No mesmo texto, um porta-voz – não identificado – de uma suposta empresa do ex-presidente teria dito que Obama era próximo ao primo, mas que ele não sabia de suas inclinações radicais. Ao final da reportagem, a página convocava os leitores a curtirem o conteúdo e a apoiar Donald Trump no Facebook.

Driss Oukabir é um marroquino de 28 anos que tinha residência fixa na Espanha. Já havia sido fichado pela polícia espanhola em 2012, acusado de abuso sexual.

Sua foto foi divulgada pela polícia catalã poucas horas após o atentado de Barcelona, por suspeita de ter alugado ao menos uma das vans usadas no ataque. Num primeiro momento, Oukabir disse que seu irmão, Moussa Oukabir, de 18 anos, morto pela polícia em Cambrils,  havia roubado seus documentos e alugado os carros do atentado. Depois, na audiência de terça-feira (22), admitiu que ele próprio havia alugado as vans.

Esta checagem foi feita pelo site americano Politifact.com, parceiro da Lupa na International Fact-Checking Network (IFCN).


 

Ainda nesta semana, outra notícia falsa envolvendo ataques de repercussão mundial ganhou força na internet. E os sites Snopes e Factcheck.org se debruçaram sobre ela.

“O motorista que matou e feriu dezenas de pessoas durante a manifestação do Unite Right em Charlottesville, na Virgínia (EUA), é um radical de esquerda”Recortes-Posts_FALSOAinda não há informações precisas sobre o jovem James Alex Fields Jr., que atropelou e matou ao menos uma pessoa na cidade americana, mas os dados públicos disponíveis sobre ele indicam que se trata de um filiado ao partido Republicano com afeições ao neonazismo.

O jornal Cincinnati Enquirer publicou uma entrevista com Derek Weimer, que foi um dos professores de Fields. No texto, ele situa o jovem como próximo ao movimento neonazista.

Fields também aparece em fotos que foram publicadas nas redes sociais no dia da manifestação na Virgínia. Nelas, ele aparece lado a lado com membros da Vanguard America, grupo supremacista branco, usando o uniforme e carregando o escudo com o logotipo do grupo.

*Hellen Guimarães sob a supervisão de Cristina Tardáguila.

Leia outras checagens de ‘Mundo’ / Outras publicadas neste mês / Volte à home

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo