A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Foto: Lula Marques / AGPT
Foto: Lula Marques / AGPT

Programa Criança Feliz faz um ano longe de atingir metas anunciadas

Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
18.out.2017 | 07h00 |

Um ano depois de criado, o Programa Criança Feliz, mantido pelo governo federal para monitorar os primeiros anos de vida dos brasileiros com até seis anos de idade, ainda não alcançou as metas anunciadas em seu lançamento. O Criança Feliz é o primeiro programa social desenvolvido e aprovado pelo governo Michel Temer e conta com o apadrinhamento da primeira-dama, Marcela Temer. Para marcar seu primeiro aniversário, a Lupa colocou à prova algumas frases ditas no início do projeto. Veja o resultado:

“O programa vai beneficiar 4 milhões de crianças entre 0 e 3 anos”

Vídeo institucional no lançamento do Programa Criança Feliz, em 05/10/2016RECORTES-POSTS-DE-OLHOA promessa feita há um ano foi reafirmada pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário em nota publicada em seu site na quarta-feira (4). No texto, a pasta reitera que a meta estabelecida em 2016 deverá ser atingida até 2018. Mas, de acordo com o próprio ministério, apenas 1% dessa meta foi alcançado até o momento.

Um relatório feito pela pasta em 2016 mostra que há um atraso sucessivo no cumprimento das metas. O ministério esperava atender a 140 mil crianças até o fim de 2016 e a 300 mil até o fim de 2017. Até a segunda semana de outubro, 65.747 crianças e gestantes estavam sendo acompanhadas por visitadores do Criança Feliz.

Procurado, o ministério reafirmou, por nota, que a meta é mesmo 2018 e que, todos os dias, novas visitas são feitas para tentar cumprir as metas.


“Em cada nível federativo, deverão ser organizados comitês gestores”

Osmar Terra, Ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, no discurso de lançamento do Programa Criança Feliz, em 05/10/2016RECORTES-POSTS-AINDA-E-CEDOSegundo o relatório divulgado em agosto pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, apenas duas unidades da federação ainda não possuem os chamados comitês gestores. São elas: Santa Catarina e Minas Gerais.

No final de 2016, como prometido, o governo federal implantou um comitê gestor que reunia representantes dos Ministérios do Desenvolvimento Social, Saúde, Educação, Cultura e Justiça e Cidadania. Esses comitês reúnem material de treinamento e monitoram a implantação do programa nos estados.

O Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário afirmou, em nota, que Santa Catarina e Minas Gerais aderiram ao programa, mas “não conseguiram a aprovação no Conselho Estadual de Assistência Social, o que inviabiliza ainda a participação no programa”. Para fazer frente a isso, a pasta acrescentou que dá treinamento e capacitação em 261 municípios de Minas Gerais e 14 de Santa Catarina.


“Monitores vão visitar as famílias todas as semanas”

Vídeo institucional no lançamento do Programa Criança Feliz em 05/10/2016RECORTES-POSTS-VERDADEIRO-MASO Programa Criança Feliz foi lançado em 5 de outubro de 2016 e, até a segunda semana de outubro, 65.747 crianças e estavam sendo acompanhados por “visitadores” do Criança Feliz.

Mas um relatório feito em agosto pelo próprio Ministério do Desenvolvimento Social mostra a lentidão com que o programa se desenvolve. Só em 21 de junho deste ano foi finalizado o documento que prepara os profissionais para atender às famílias, o chamado Guia de Visita Domiciliar. Assim sendo, a primeira visita do Criança Feliz ocorreu em 14 de julho deste ano, no estado do Sergipe.

Procurado, o ministério afirmou, em nota, que a capacitação dos profissionais do programa dura 40 horas. Por essa razão, “o processo inicial é trabalhoso”. Segundo a pasta, seis unidades da federação ainda não têm visitas. São eles: Mato Grosso, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Rondônia, Amapá e Distrito Federal.

Leia outras checagens de ‘País’ / Outras publicadas neste mês / Volte à home

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo