A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Foto: Rafael Wallace / Alerj
Foto: Rafael Wallace / Alerj

Quem mudou de opinião entre os escândalos Álvaro Lins e Picciani?

| Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
17.nov.2017 | 18h39 |

Dezoito deputados estaduais do Rio participaram tanto da sessão que, em 2008, soltou o então deputado Álvaro Lins, preso por corrupção passiva e formação de quadrilha armada, quanto na realizada nesta tarde – e que revogou as prisões dos deputados estaduais Jorge Picciani, Edson Albertassi e Paulo Melo, todos do PMDB e presos desde ontem (12).

Três deputados que estavam em ambas as sessões mudaram de posição ao longo dos anos. Luiz Paulo (PSDB) foi a favor da revogação da prisão de Álvaro Lins, mas votou pela manutenção das prisões de Picciani, Melo e Albertassi hoje. Cidinha Campos (PDT) e Paulo Ramos optaram por manter a prisão de Álvaro Lins em 2008, mas, nesta tarde, votaram para tirar a cúpula do PMDB do presídio de Benfica, na Zona Norte do Rio.

Uma curiosidade: entre os 40 votos favoráveis à soltura de Álvaro Lins, em 2008, três eram justamente de Edson Albertassi, Paulo Melo e Jorge Picciani.

Leia outras checagens de ‘Estados’ / Outras publicadas neste mês / Volte à home

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo