A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Foto: Governo do Estado de São Paulo
Foto: Governo do Estado de São Paulo

Trem para Guarulhos: Alckmin fala em ‘fake news’, mas omite convênio que assinou

Editor | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
05.abr.2018 | 06h00 |

Na inauguração da estação Aeroporto da Linha 13-Jade da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), o governador de São Paulo e pré-candidato à presidência da República pelo PSDB, Geraldo Alckmin, disse que reportagens sobre o atraso de 14 anos na construção da linha eram “fake news”. Mas, em 2002, o próprio Alckmin assinou um convênio  que previa a instalação de um trem na região até 2005. Alckmin também se equivocou ao falar sobre a história do aeroporto de Guarulhos. Veja a checagem abaixo:

“[A construção do trem para Cumbica] Não demorou 14 anos. Isso é ‘fake news’, é mentira”
Geraldo Alckmin, governador de SP e pré-candidato à presidência pelo PSDB, em entrevista coletiva no dia 31 de março de 2018Exatos 16 anos e 17 dias separaram o primeiro anúncio de que um trem ligaria a capital paulista e o aeroporto de Guarulhos de sua efetiva inauguração, no último dia 31.

Em 14 de março de 2002, Geraldo Alckmin, então em seu primeiro mandato como governador, assinou um convênio com a Infraero para a implantação de uma linha de trem entre o Aeroporto Internacional de Guarulhos e a estação Brás, da CPTM. A assinatura desse convênio foi noticiada, à época, pela Folha de S. Paulo e pelo Estado de S. Paulo. A previsão era de que uma licitação seria realizada ainda no primeiro semestre de 2002 e que a obra estaria concluída em 2005. Nada disso aconteceu.

Em nota, a Infraero confirmou que assinou convênio com a CPTM “a fim de desenvolverem ações conjuntas com o objetivo de atender à implantação de um serviço ferroviário ligando o Aeroporto Internacional de Guarulhos ao centro da cidade de São Paulo”. Segundo o órgão, o objetivo era a cooperação de ambas as partes para a implantação do Expresso Aeroporto”. O convênio, no entanto, foi encerrado em 2003.

Também vale ressaltar que o projeto do convênio era diferente do que foi inaugurado no último sábado. Seria um trem expresso, com custo estimado de R$ 20 para a passagem (R$ 54,10, em valores atualizados) – não uma linha comum da CPTM, como é hoje. Depois de junho, quando acabar o período de testes, em que a viagem é gratuita, a passagem custará R$ 4.

Em nota, a assessoria de imprensa do governo de São Paulo disse que o projeto Expresso Aeroporto, de 2002, seria uma parceria público-privada, mas “deixou de ser interessante para a iniciativa privada” com o anúncio de trem de alta velocidade (TAV) entre São Paulo e Rio de Janeiro pelo governo federal (obra que nunca foi concretizada). As datas dos dois projetos, porém, não batem. O TAV só começou a ser discutido em 2007.

A assessoria destacou, ainda, que o projeto atual foi iniciado em 2012 e licitado em 2013, com previsão de recursos do PAC da Mobilidade do governo federal. Segundo o governo de SP, esse dinheiro nunca chegou, e “o Estado buscou outras fontes de financiamento para a conclusão da obra”.


“Estudos para trazer o trem para cá [aeroporto de Guarulhos] existem há mais de 50 anos”
Geraldo Alckmin, governador de SP e pré-candidato à presidência pelo PSDB, em entrevista coletiva no dia 31 de março de 2018O Aeroporto Internacional de Guarulhos só foi inaugurado em 20 de janeiro de 1985. Não existia, portanto, “há mais de 50 anos”. As primeiras desapropriações para a construção do aeroporto começaram em 1974. Há menções a estudos de viabilidade para a implantação de um trem ou um VLT na região desde, pelo menos, os anos 1990.

Vale ressaltar que, entre 1947 e 1965, funcionava na região um um ramal de trens – mas de uso exclusivamente militar. Uma ferrovia ligava a Base Aérea de São Paulo, nas proximidades do atual aeroporto, à hoje extinta estação de Guarulhos e, de lá, à estação Tucuruvi, na Zona Norte da capital. Em 1965, todo o ramal deixou de operar.

Em nota, a assessoria do governo de São Paulo disse ser “risível que se busque precisão em um número citado como hipérbole, uma mera figura de estilo”.


“Ela [a Linha 13-Jade da CPTM] foi licitada em 2013. Em 2017, tivemos a primeira estação e, em 2018, ela está entregue”
Geraldo Alckmin, governador de SP e pré-candidato à presidência pelo PSDB, em entrevista coletiva no dia 31 de março de 2018A licitação da atual Linha 13-Jade da CPTM foi publicada no dia 27 de setembro de 2013. A estação Engenheiro Goulart, fechada para obras em 2014, foi reinaugurada em agosto de 2017 – inicialmente, operando apenas para a Linha 12-Safira. Em 31 de março, foram inauguradas as últimas duas estações da linha 13 – Guarulhos-Cecap e Aeroporto. Elas operam em período de testes, com passagem gratuita, até junho. Depois disso, os trens funcionarão como os que já operam na cidade, com trajetos ao custo de R$ 4.

*Esta reportagem foi publicada na edição impressa do jornal Folha de S.Paulo no dia 5 de abril de 2018.

Leia outras checagens sobre Estados / Leia outras deste mês / Volte à home

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo