A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Alvaro Dias: total de analfabetos supera toda população argentina. Será?

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
24.abr.2018 | 16h00 |

Pré-candidato à Presidência da República pelo Podemos, Álvaro Dias é senador e ex-governador do estado do Paraná. Na última pesquisa divulgada pelo Datafolha, apareceu com entre 3% e 5% das intenções de votos. A Lupa checou diversas frases ditas pelo senador recentemente – em seu Twitter e em entrevistas ao canal da jornalista Leda Nagle, ao site Notícias Agrícolas, à TV Folha e à Rádio CBN. Veja o resultado:

“Eu renunciei ao direito de receber aposentadoria como ex-governador do Paraná há 26 anos”
Álvaro Dias, senador e pré-candidato pelo Podemos, em sua conta no Twitter no dia 16 de abril de 2018Álvaro Dias foi governador do Paraná entre 1987 e 1991, época em que era filiado ao MDB. E, de fato, ele não recebe a aposentadoria paga aos ex-governadores do estado, que é de R$ 30.471,11 mensais.

Mas, em outubro 2010, Dias solicitou o benefício – inclusive o valor retroativo a seu período como governador do Paraná. Na época, a aposentadoria era de R$ 24,8 mil por mês e, caso o pedido tivesse prosperado, o senador receberia um acumulado de R$ 1,6 milhão.

Em janeiro de 2011, uma reportagem do Estadão mostrou que, com esse dinheiro, o senador praticamente dobraria seu patrimônio. Um dia depois – e sob o impacto da repercussão negativa -, Álvaro Dias disse que doaria o dinheiro para caridade. Na época, afirmou que “não pretendia fazer propaganda [das doações]. Mas, infelizmente, houve quem se encarregasse disso, e a propaganda [contra mim] foi feita de forma bastante eficiente”.

Procurado, Álvaro Dias afirma que ele estava atendendo ao apelo de duas entidades e que doaria o dinheiro para elas. Contudo, voltou atrás depois da repercussão negativa. O senador declarou ainda que “não seria justo ser condenado por não receber a aposentadoria, direito líquido e certo”.


 “O prefeito Samuca Silva [eleito em Volta Redonda (RJ) em 2016] tinha 0,7% e ganhou a eleição com 70%”
Álvaro Dias, senador e pré-candidato pelo Podemos, em entrevista ao site Notícias Agrícolas no dia 16 de abril de 2018Ao comentar sobre pesquisas de intenção de voto, o senador Álvaro Dias afirma que um político pode crescer ao longo do processo e ganhar a eleição, mesmo tendo começado com baixos índices. Para ilustrar isso, cita o caso do atual prefeito de Volta Redonda, mas distorce os dados.

Em setembro de 2016,  Samuca Silva – ou Elderson Ferreira da Silva – tinha 3,2% das intenções de voto, segundo o instituto GPP. O estudo destaca, no entanto, que desses votos somente 1,6% era considerado como consolidado. Samuca foi o segundo colocado no primeiro turno (24,84%) e acabou eleito com 54,6% dos votos no segundo turno.

Procurado, Álvaro Dias afirma que essas informações foram prestadas pelo prefeito de Volta Redonda. Além disso, o senador destacou que se referia ao início da campanha de Samuca e não a setembro. A Lupa não conseguiu localizar nenhuma pesquisa pública sobre intenção de voto do período citado por Dias. 


“Nós temos uma população de analfabetos maior que a população da Argentina”
Álvaro Dias, senador e pré-candidato pelo Podemos em entrevista ao Canal Leda Nagle no dia 12 de abril de 2018A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) do IBGE mostra que, em 2015 (dado mais recente disponível), o Brasil tinha 12,9 milhões de analfabetos. A Argentina, por sua vez, tinha mais de 43,8 milhões de habitantes, em 2016, segundo o Banco Mundial. Ou seja: a população argentina é três vezes o número de analfabetos brasileiros.

Procurado, Álvaro Dias afirma que quis dizer alfabetos e semianalfabetos. Segundo ele, “se eventualmente faltou o semi foi por descuido, mas tenho repetido esses números em várias oportunidades”.


“Eu tenho a menor rejeição entre todos os candidatos”
Álvaro Dias (Podemos) em entrevista dada à TV Folha no dia 04 de abril de 2018De acordo com a pesquisa Datafolha divulgada em janeiro de 2018, a rejeição de Álvaro Dias alcançava 13% do eleitorado brasileiro. Esse, de fato, era o menor índice entre os políticos pesquisados. Mas o senador não foi o único a aparecer na pesquisa com esse percentual. Manuela D’Ávila (PC do B), Guilherme Boulos – que se filiou ao PSOL depois da pesquisa – e João Amoêdo (Novo) também apareceram com 13% de rejeição. Procurado, Álvaro Dias afirma que possui a menor rejeição, mesmo que outros candidatos estejam empatados com ele.


“Entre as 50 cidades mais violentas do mundo 11 estão no Nordeste”
Álvaro Dias (Podemos) em entrevista à Rádio CBN no dia 18 de abril de 2018Segundo o ranking realizado pela sociedade civil mexicana Segurança, Justiça e Paz, 11 cidades localizadas na região Nordeste do Brasil estão entre as 50 mais violentas do mundo. São elas: Natal, Fortaleza, Vitória da Conquista, Maceió, Aracaju, Feira de Santana, Recife, Salvador, João Pessoa, Campina Grande e Teresina. Além das cidades do Nordeste, outros seis municípios brasileiros também ficaram entre as mais violentas. Três estão na região Norte, duas, no Sudeste e uma, no Sul.  


“52 milhões de brasileiros, segundo números oficiais, estão abaixo da linha da pobreza”
Álvaro Dias (Podemos) em entrevista dada à Rádio CBN no dia 18 de abril de 2018Utilizando os critérios do Banco Mundial, o IBGE aponta que 25,4% dos brasileiros viviam em situação de pobreza em 2016. Segundo o Banco Mundial, o Brasil tinha 207.652.865 habitantes naquele ano, logo, 52.743.827,71 viviam abaixo da linha da pobreza. É considerado pobre a renda domiciliar per capita de R$ 387,00 por mês. O IBGE afirma que o quadro mais crítico está entre os 7,4 milhões de domicílios que “têm mulheres pretas ou pardas sem cônjuge com filhos até 14 anos”.

Leia outras checagens de ‘País’ / Outras publicadas neste mês / Volte à home

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo