A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Meirelles foca em dados econômicos, mas exagera sobre PIB e Previdência

Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
02.maio.2018 | 10h00 |

O ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles é um dos possíveis candidatos do MDB para a Presidência da República. O outro é o próprio presidente, Michel Temer. A definição só deve sair nas prévias do partido, ainda sem data marcada. Enquanto isso, Meirelles dá entrevistas em tom de campanha, sempre com foco na economia do país. E a Lupa conferiu afirmações ditas pelo presidenciável em algumas delas. Veja o resultado:

“Temos, hoje, a despesa de Previdência Social representando 57% do orçamento”

Henrique Meirelles, pré-candidato à presidência pelo MDB, em entrevista à rádio CBN no dia 24 de abril de 2018

EXAGERADO

A porcentagem do orçamento gasta com Previdência é bem menor do que a citado pelo ministro. Segundo o orçamento de 2018, a previsão de gastos com aposentadorias no regime geral e no regime próprio da União é de R$ 676,3 bilhões. O orçamento total é de R$ 3,5 trilhões para este ano. Ou seja, o gasto com previdência é de cerca de 19,29% do orçamento total do governo federal – e não de 57% como dito pelo ex-ministro.

Procurado, Meirelles disse que a soma de todas as despesas do governo com a Previdência atingiu 50,2% da despesa primária em 2016 e 53% em 2017. Mas, vale lembrar que despesa primária e orçamento são conceitos diferentes. A despesa primária compreende os gastos que o governo faz para oferecer os serviços públicos à sociedade, como os de pessoal, custeio e investimento, enquanto o orçamento é a previsão de todas as despesas e receitas do governo no ano.


“Fui chamado pelo ex-presidente Lula, em 2002. Foi uma administração com sucesso. Baixamos a inflação”

Henrique Meirelles, pré-candidato à presidência pelo MDB, em entrevista ao portal NSC Total no dia 25 de abril de 2018

VERDADEIRO, MAS

Henrique Meirelles foi presidente do Banco Central durante os dois mandatos de Lula como presidente da República, ou seja, de 1º de janeiro de 2003 a 31 de dezembro de 2010. Nesse período, de fato a inflação caiu gradualmente – de 9,3% em 2003 até chegar a 3,14% em 2006. Mas, depois disso, o índice voltou a crescer. Em 2010, último ano de Meirelles à frente do BC e de Lula na presidência, a taxa acumulada no ano atingiu 5,91%, a mais alta desde 2004.

Procurado, Meirelles disse que a inflação média dos últimos quatro anos em que ele presidiu o Banco Central foi de 5,14%, enquanto a dos primeiros quatro anos ficou em 6,4%. O ex-ministro considerou que houve equilíbrio no período em que esteve no cargo. “Nos últimos quatro anos, a inflação ficou dois anos abaixo da meta e por igual período acima dela, tendo havido, portanto, um equilíbrio, o que era o objetivo do BC”, disse, em nota.


“Quando este governo [de Temer] assumiu, o PIB estava decrescendo, tinha caído mais de 5% durante um ano apenas”

Henrique Meirelles, pré-candidato à presidência pelo MDB, em entrevista ao portal NSC Total no dia 25 de abril de 2018

EXAGERADO

De fato, quando Temer assumiu a presidência da República, em maio de 2016, ainda como presidente em exercício, o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro estava em queda, mas não tão acentuada como afirma o ex-ministro.

De acordo com o levantamento Contas Nacionais Trimestrais, divulgado pelo IBGE, o PIB brasileiro teve uma queda de 4,4% entre o 2º trimestre de 2015 e o primeiro trimestre de 2016, ou seja, nos 12 meses que antecederam o início do governo interino de Temer (veja na tabela “Acum. em 4 trimestres” do conjunto de dados do IBGE)

Se considerado o ano anterior ao início do governo definitivo do atual presidente – que começou em agosto de 2016 -, a queda do PIB foi de 4,6%, entre o 3º trimestre de 2015 e o 2º trimestre de 2016.

Procurado, Meirelles disse que os dados que comparam o 1º trimestre de 2016 com o mesmo período de 2015 indicam uma queda de 5,2%. E este é mesmo o único cenário em que se observa o número referido pelo ex-ministro. Mas, segundo o IBGE, isso não indica a retração em um ano corrido. Trata-se apenas da comparação do valor adicionado ao PIB em um trimestre específico com o valor do mesmo trimestre do ano anterior.


“A inflação é a mais baixa em 20 anos”

Henrique Meirelles, pré-candidato à presidência pelo MDB, em entrevista ao portal NSC Total no dia 25 de abril de 2018

VERDADEIRO

Em 2017, a inflação acumulada ficou em 2,86%, segundo o IBGE. Esse é, de fato, o menor valor em 20 anos, de acordo com a série histórica do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), iniciada em 1994. Apenas em 1998 a taxa foi menor, chegando a 1,65%.


“A União apontou em 2017 um déficit de R$ 124 bilhões”

Henrique Meirelles, pré-candidato à presidência pelo MDB, em entrevista ao portal NSC Total no dia 25 de abril de 2018

VERDADEIRO

De acordo com o relatório Resultado Mensal do Tesouro Nacional de dezembro de 2017, o déficit primário do governo federal chegou a R$ 124,4 bilhões no ano passado. O valor diminuiu com relação a 2016, quando a União fechou o ano com um déficit primário de R$ 161,3 bilhões.

Editado por: Cristina Tardáguila

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo