A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Reprodução
Reprodução

Manuela divulga imagem com dados errados sobre o preço da gasolina

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
24.maio.2018 | 17h54 |

Na tarde desta quinta-feira (24), a pré-candidata do PCdoB à Presidência da República, Manuela D’Ávila, postou um tuíte criticando seus concorrentes por defender “regras do livre mercado internacional em relação ao petróleo e ao preço dos combustíveis”. Na postagem, feita durante a greve dos caminhoneiros, ela anexou um imagem em que supostamente mostrava uma série histórica com o preço da gasolina. Veja a seguir:

FALSO

A Agência Nacional do Petróleo (ANP) mantém em seu site uma série histórica dos preços médios de revenda dos combustíveis no país. Essa série foi iniciada em julho de 2001 e teve sua última atualização em abril deste ano. Não cobre, portanto, os primeiros seis anos do governo Fernando Henrique Cardoso (1995-2002). Dali para frente, os dados oficiais mostram que Manuela não acertou.

Segundo a ANP, o último preço da gasolina durante o governo FHC, em dezembro de 2002, foi de R$ 2,00 – não R$ 2,25 como registrado na imagem postada por Manuela.

A mesma base de dados mostra que, em janeiro de 2003, quando Lula tomou posse, o preço médio da gasolina em revenda era R$ 2,16 por litro. Em abril de 2016, último mês completo do governo Dilma Rousseff, foi R$ 3,71. Esses dados também não batem com os informados pela imagem de Manuela.

Por fim, na semana de 13 de maio de 2016, quando Michel Temer assumiu a presidência de forma interina, o litro da gasolina era revendido a R$ 3,67. O dado mais recente disponível, sobre a semana de 29 de abril a 5 de maio deste ano, mostra R$ 4,22. Esses números oficiais também não se refletem no post da pré-candidata.

Além disso, mesmo que os números estivessem certos, as porcentagens apresentadas no card estariam equivocadas. Elas foram feitas ignorando a inflação dos períodos analisados.

Atualização às 21h25 do dia 24 de maio de 2018: Procurada, a assessoria de Manuela D’Ávila reconheceu o erro. “O que postamos estava errado mesmo. Quando identificamos que os dados não estavam corretos, apagamos”. O tuíte postado no final da manhã foi apagado “no início da tarde”.

Editado por: Cristina Tardáguila e Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo