A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Bolsonaro erra ao dizer que general, capitão e sargento ‘ganham basicamente a mesma coisa’

Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
28.maio.2018 | 16h00 |

Na semana passada, o pré-candidato do PSL ao Palácio do Planalto, Jair Bolsonaro, foi sabatinado pela Rádio Jovem Pan News. Ele falou sobre pesquisas eleitorais e tempo de TV. Além disso, a Lupa também checou outras entrevistas que o político deu no início de maio. Veja abaixo o resultado:

“[General, capitão e sargento] ganham basicamente a mesma coisa”
Jair Bolsonaro, pré-candidato do PSL à Presidência da República, em entrevista ao Café na Política do dia 12 de maio de 2018

FALSO

Procurado o Ministério da Defesa informou que um General do Exército – posto mais alto do Exército brasileiro em tempos de paz – recebe, atualmente, R$ 12.763 por mês. Um terceiro sargento, por sua vez, ganha mensalmente R$ 3.584. As remunerações não são, portanto, “basicamente a mesma coisa”, como diz Bolsonaro. Há uma diferença de pelos menos R$ 3 mil entre os salários de sargento e capitão e de outros R$ 3 mil entre as remunerações mensais atuais de capitão e general.

Procurado, Bolsonaro disse que não comentaria.


“Ele [Ciro] continua falando que quer indulto para o Lula”
Jair Bolsonaro, pré-candidato do PSL à Presidência da República, em sabatina na Rádio Jovem Pan News, no dia 22 de maio

FALSO

A possibilidade de um indulto ao ex-presidente Lula apareceu pela primeira vez na coluna que a jornalista Mônica Bergamo publicou no jornal Folha de S.Paulo no dia 3 de maio. O texto afirmava que o PT proporia a candidatos de centro-esquerda que apoiassem a medida. “Esse deve ser um dos pontos centrais do discurso de campanha do partido [PT] caso tenha candidato próprio [em 2018]: tirar Lula da cadeia para que possa concorrer em 2022”.

Dois dias depois, o pré-candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, falou sobre o assunto e criticou a estratégia, dizendo que seria “uma burrice”. “O presidente Lula está a meio caminho de recursos [na Justiça]. Se a burocracia do PT cria uma campanha pelo indulto, o que ela está dizendo? Que o Lula será condenado em última instância”, afirmou Ciro. ”Isso nega a estratégia dos advogados do Lula (…) Eu não vou cair nessa burrice”.

No dia 15 de maio, na Suécia, Ciro foi questionado mais uma vez sobre o assunto e disse que dar o benefício à Lula seria uma loucura e que o ex-presidente não aprovaria. “Indulto é apenas para aqueles que já foram condenados em todas as instâncias. E Lula ainda está recorrendo da decisão que o condenou”.

Procurado, Bolsonaro disse que não comentaria.


“Todo mundo está próximo disso [rejeição de 50% nas pesquisas]”
Jair Bolsonaro, pré-candidato do PSL à Presidência da República, em sabatina na Rádio Jovem Pan News, no dia 22 de maio

EXAGERADO

A última pesquisa Datafolha, divulgada em abril, indica que apenas dois dos 19 nomes cotados como pré-candidatos à presidência da República têm rejeição próxima de 50%. São eles: o atual presidente, Michel Temer (MDB), com 64% de rejeição, e o ex-presidente e atual senador Fernando Collor (PTC-AL), com 41% (página 49).

Lula e Bolsonaro, que se alternam na liderança das intenções de voto nos cenários levantados pelo Datafolha, aparecem com 36% e 31% de rejeição, respectivamente. Geraldo Alckmin tem 29%; Ciro Gomes, 23%; Marina Silva, 22%; e Rodrigo Maia, 21%, enquanto outros onze políticos aparecem com um índice que varia entre 19% e 12%. O levantamento mostra ainda que 4% dos entrevistados rejeita todos os candidatos analisados pela pesquisa.   

Procurado, Bolsonaro disse que não comentaria.


“Estão crescendo 7% [no Paraguai]”
Jair Bolsonaro, pré-candidato do PSL à Presidência da República, em sabatina na Rádio Jovem Pan News, no dia 22 de maio

EXAGERADO

De acordo com dados do Fundo Monetário Internacional, o Paraguai cresceu 4,3% no ano passado. Em 2016, o crescimento foi de 4% e, em 2015, de 3% – bem abaixo dos 7% citados por Bolsonaro. O pré-candidato citou o país latino ao falar de suas ideias sobre política externa e defender a validade de acordos bilaterais.

Procurado, Bolsonaro disse que não comentaria.


“Sozinho, eu tenho a metade do tempo [de propaganda de TV] do Enéas [em 1989]”
Jair Bolsonaro, pré-candidato do PSL à Presidência da República, em sabatina na Rádio Jovem Pan News, no dia 22 de maio

AINDA É CEDO PARA DIZER

O tempo reservado para cada candidato no horário eleitoral de TV só será conhecido depois de registradas todas as candidaturas – o que poderá ser feito até 15 de agosto. A propaganda partidária de candidatos à presidência vai durar 12 minutos e 30 segundos, de acordo com a Lei 9.504/97. Desse tempo, 90% vai ser dividido de acordo com o número de deputados de cada coligação e 10%, igualmente entre todos os candidatos. Como esse número ainda não é conhecido, é impossível dizer, agora, quanto tempo cada candidato terá.

Na campanha de 1989, o candidato do extinto Prona, Enéas Carneiro (1938-2007), tinha 15 segundos de TV em cada bloco de horário eleitoral gratuito. As regras para divisão do tempo de propaganda naquela época não eram as mesmas da eleição deste ano. Portanto, não é possível fazer essa comparação.

Procurado, Bolsonaro disse que não comentaria.


“Audiência de custódia: você sabe que o policial prende o marginal em flagrante e, em menos de 24 horas, metade deles são postos em liberdade”
Jair Bolsonaro, pré-candidato do PSL à Presidência da República, em sabatina na Rádio Jovem Pan News, no dia 22 de maio

VERDADEIRO

Segundo o Conselho Nacional de Justiça, 46% dos presos em flagrante levados a audiências de custódia são liberados. Mesmo assim, respondem a processo pelo crime que motivou a prisão.

O estudo do CNJ foi divulgado em 2017 e levou em conta 955 audiências de custódia realizadas no Distrito Federal, no Rio Grande do Sul, na Paraíba e em Tocantins, Santa Catarina e São Paulo.

Editado por: Cristina Tardáguila e Natália Leal

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo