A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Foto: Jaelcio Santana e Tiago Santana/Fotos Públicas
Foto: Jaelcio Santana e Tiago Santana/Fotos Públicas

Na CBN, Aldo Rebelo exagera ao falar sobre desemprego e agricultura

Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
31.maio.2018 | 15h00 |

Ex-ministro de Luiz Inácio Lula da Silva e de Dilma Rousseff, além de ex-deputado federal pelo PCdoB, Aldo Rebelo é agora o pré-candidato do Solidariedade à Presidência da República. Em entrevista concedida à rádio CBN em 23 de maio, ele falou sobre desemprego e agricultura. A Lupa checou algumas das falas do político. Confira o resultado:

“[O Brasil tem] mais de 20 milhões de desempregados”
Aldo Rebelo, pré-candidato pelo Solidariedade, em entrevista concedida à rádio CBN no dia 23 de maio de 2018

EXAGERADO

Dados da última Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Trimestral (PnadC/T), do IBGE, publicada em abril, mostram que o Brasil tinha, no primeiro trimestre deste ano, 13,7 milhões de pessoas desempregadas ou na condição de “força de trabalho desocupada”.

Uma pessoa só é considerada desocupada quanto está procurando emprego. Se ela deixa de procurar trabalho, passa a ser classificada como “desalentada”. A PnadC/T mostra que, no primeiro trimestre de 2018, o Brasil tinha 4,6 milhões de pessoas nessa condição. Esse é o maior número de desalentados da série histórico da PnadC/T, iniciada em 2012.

Mesmo somando os desocupados e os desalentados não é possível alcançar os 20 milhões citados por Aldo Rebelo.

Procurado, Aldo Rebelo não retornou.


“Toda a agricultura brasileira (…) é feita em 8% do nosso território. A dos EUA, em 18%. A da Índia, em 60%”
Aldo Rebelo, pré-candidato pelo Solidariedade, em entrevista concedida à rádio CBN no dia 23 de maio de 2018

EXAGERADO

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) informa que 7,6% da área territorial brasileira é ocupada por lavouras. Nos Estados Unidos, essa proporção atinge 18,3%. E, na Índia, 60,5%. É importante ressaltar, no entanto, que as áreas de lavoura não são sinônimo de área destinada à agricultura. Esta última não é formada apenas pelas plantações.

Segundo o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, 52% do território norte-americano era usado para agricultura em 2012 – último dado disponível. Nesse percentual estavam computadas as pastagens e as terras cultiváveis.

Já o Banco Mundial, que usa metodologia parecida, considera que, em 2015, as áreas usadas para agricultura no Brasil representavam 33,8% do território total do país, 44,4% nos Estados Unidos e 60,4% na Índia. Nesses percentuais estão contabilizados todos os metros quadrados de terra utilizados para produção de algo, como pomares, pastagens e hortas, por exemplo – não apenas as lavouras.

Procurado, Aldo Rebelo não retornou.


“Quando [a Câmara] renovou muito [sua composição, o índice] foi 60%. Quando renovou pouco, 40%”
Aldo Rebelo, pré-candidato do Solidariedade à presidência da República, em entrevista à Folha de S.Paulo em 27 de abril de 2018

VERDADEIRO

De acordo com o Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), a maior renovação na composição da Câmara ocorreu na eleição de 1990 – com 61,82% -, e a menor, em 1998 – com 43,86%. A média de renovação na composição da Casa nas últimas sete eleições para deputado federal é de 49%.

(Plínio Lopes, especial para a Lupa, sob supervisão de Natália Leal)

Editado por: Cristina Tardáguila e Natália Leal

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo