A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Foto: FIFA/Divulgação
Foto: FIFA/Divulgação

Gols, cartões, expulsões e público: veja os números da história da Copa do Mundo

| Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
14.jun.2018 | 06h00 |

Quantos gols já foram marcados em Copas do Mundo? Quantos jogadores foram expulsos nas 20 edições realizadas até hoje? Em qual delas a média de público foi maior? No dia em que começa a 21ª edição do maior torneio entre seleções de futebol do mundo, a Lupa conferiu alguns números curiosos sobre a Copa do Mundo. Veja o resultado:

Gols

A Copa do Mundo é realizada desde 1930, de quatro em quatro anos – com um hiato no período da segunda guerra mundial, que suspendeu as competições de 1942 e 1946. Desde lá, foram 20 edições até a última, no Brasil, em 2014. Nestes quase 90 anos de Copa, foram marcados 2.379 gols, uma média de 2,84 por partida.

224

é o número de gols feitos pela Alemanha em toda a história das Copas. É a seleção que mais marcou. Em seguida vem o Brasil, que foi às redes 221 vezes desde 1930. Os dois países também são os que disputaram mais jogos em Copas: 106 e 104, respectivamente.

Cartões amarelos

Imagine um jogo entre Japão e Suécia arbitrado por um juiz argentino. Hoje, se dois jogadores se engalfinham em uma disputa de bola, o árbitro simplesmente para a jogada e mostra o cartão amarelo. Tanto o japonês quanto o sueco entendem a advertência: “calma lá, rapaz! Você está extrapolando um pouco as regras do jogo”.

Mas nem sempre foi assim. Até 1966, as ‘chamadas de atenção’ em campo eram verbais – o que gerava muita confusão em um torneio que reúne seleções do mundo todo e, portanto, idiomas muito diferentes. Os cartões surgiram, então, como uma forma de universalizar essa linguagem e passaram a ser utilizados a partir da Copa de 1970, no México. Desde lá, foram 2.185 cartões amarelos mostrados. A média, maior que a de gols, é de 3,27 advertências por partida.

120

cartões, entre amarelos e vermelhos, levou a Argentina em todas as edições de Copa do Mundo, liderando o ranking dos times mais advertidos. Mas a média mais alta por jogo é da Eslovênia: 3,33 cartões por partida.

Expulsões

Mesmo sem usar o cartão vermelho, os juízes estavam autorizados desde a primeira Copa a expulsar os jogadores que, de alguma forma, desrespeitavam as regras dentro das quatro linhas. E em apenas duas edições ninguém foi mandado mais cedo para o chuveiro – em 1950 e em 1970. Em compensação, a Copa de 2006 foi a que teve o maior número de expulsões: 28 – e média de 0,44 por partida.

11

vezes um juiz mandou um brasileiro sair de campo mais cedo nas 20 edições da Copa. Com isso, o Brasil é a seleção com o maior número de expulsões no torneio. Mas a média mais alta por jogo é da seleção de Camarões, com 0,35 cartões vermelhos por partida.

Público dos jogos

O estádio com maior capacidade de público na Copa de 2018 é o Luzhniki, o antigo Estádio Central Lênin, em Moscou. Nele ocorrem a abertura e a final do torneio deste ano. Mas mesmo com os cerca de 81 mil lugares disponíveis ocupados, o espaço não chegará nem perto do maior público já registrado em uma Copa do Mundo.

Em 1950, 173.850 pessoas assistiram à final entre Brasil e Uruguai no Maracanã. Para se ter ideia, segundo o IBGE, apenas 167 dos mais de 5 mil municípios brasileiros têm população maior do que o público desse jogo. Naquele ano, o Uruguai levou a melhor: ficou com o título – e os brasileiros nunca mais esqueceram o Maracanazo.

68,9 mil

pessoas foi a média de público da Copa do Mundo de 1994, nos Estados Unidos. É a maior da história das Copas.

(André Baibich, especial para a Lupa)

Editado por: Natália Leal

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo