A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Em entrevista, Afif Domingos exagera ao falar de micro e pequenas empresas

Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
16.jul.2018 | 13h00 |

O pré-candidato do PSD à Presidência da República, Guilherme Afif Domingos, concedeu entrevista ao portal Metrópoles na manhã da última sexta (13). Atual presidente do Sebrae, ele exagerou ao falar sobre o desempenho das micro e pequenas empresas no Brasil – justamente sua principal área de atuação. Na segunda-feira (10), Afif falou ao Roda Viva e, na terça-feira (11), à RedeTV!. A Lupa checou algumas das frases ditas por ele nesses três eventos. Veja o resultado a seguir:

“Já são 8 milhões de pessoas formalizadas [como MEI]”
Guilherme Afif Domingos, pré-candidato pelo PSD à Presidência da República, em entrevista ao Metrópoles no dia 13 de julho

EXAGERADO

Atualmente, o Brasil tem 6.911.028 de microempreendedores individuais formalizados – mais de 1 milhão a menos do que o total citado por Afif. Os dados são do Portal do Empreendedor.

São Paulo é o estado com maior concentração de pessoas cadastradas no sistema, com 1.804.158. Para se formalizar como MEI, o empreendedor não pode ser sócio ou ter outra empresa, e o faturamento máximo permitido nessa modalidade é de R$ 81 mil por ano.

Procurado, Afif não retornou.


“As pequenas empresas, nos últimos 10 anos, criaram 11 milhões de vagas”
Guilherme Afif Domingos, pré-candidato pelo PSD à Presidência da República, em entrevista ao Metrópoles no dia 13 de julho

EXAGERADO

Segundo levantamento feito pelo Sebrae com base em dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), as micro e pequenas empresas geraram 9,799 milhões de empregos entre 2008 e março de 2018, último dado disponível (página 6). O número citado por Afif é 12,2% maior.

Procurado, Afif não retornou.


“As grande empresas (…), nos últimos 10 anos, fecharam 1,4 milhão de vagas”
Guilherme Afif Domingos, pré-candidato pelo PSD à Presidência da República, em entrevista ao Metrópoles no dia 13 de julho

VERDADEIRO, MAS

Levantamento feito pelo Sebrae com base nos dados do Caged mostra que as grandes empresas – aquelas que empregam mais de 250 pessoas – fecharam mais postos de trabalho do que o citado pelo pré-candidato. De 2008 a março de 2018 (último dado disponível no levantamento), as grandes empresas perderam 1.861 milhão de vagas.

Procurado, Afif não retornou.


“Neste ano [2018], nós batemos 245 milhões de toneladas de grãos produzidos”
Guilherme Afif Domingos, pré-candidato pelo PSD à Presidência da República, em entrevista ao Metrópoles no dia 13 de julho

EXAGERADO

Na safra 2016/2017, a última consolidada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o Brasil colheu 237.671,40 toneladas de grãos – 7,3 milhões a menos do que o citado pelo pré-candidato. Para este ano, a estimativa feita pelo último boletim de Acompanhamento da Safra Brasileira, publicado em julho, indica que serão colhidas 228,5 milhões de toneladas de grãos, quase 17 milhões a menos do que o dito por Afif.

Procurado, Afif não retornou.


“Não fui colocado nem como candidato [na pesquisa do Ibope]”
Guilherme Afif Domingos, pré-candidato pelo PSD à Presidência da República, em entrevista ao programa Roda Viva no dia 10 de julho

FALSO

A última pesquisa do Ibope, divulgada no dia 28 de junho, considerou o nome de Guilherme Afif nos dois cenários apresentados aos eleitores – com o nome de ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sem o nome do petista. Em ambos, o pré-candidato do PSD não atingiu 1% das intenções de voto. Valéria Monteiro (PMN), Aldo Rebelo (SD) e Paulo Rabello (PSC) também não chegaram a 1%. A pesquisa do Ibope ainda mostrou a rejeição aos pré-candidatos. Nesse caso, 8% dos eleitores disseram que não votariam em Afif. O índice é o mesmo de João Amôedo (Novo), Valéria Monteiro e Paulo Rabello (PSC).

Procurado, Afif não retornou.


“[Nas pesquisas de intenção de voto sobre as eleições de 1989] Atingi o patamar (…) que levou Lula ao segundo turno: bati 14%”
Guilherme Afif Domingos, pré-candidato pelo PSD à Presidência da República, em entrevista em sabatina à RedeTV! no dia 11 de julho

EXAGERADO

Em 1989, quando foi candidato à Presidência pelo extinto PL, Afif oscilou de 1% a 8% das intenção de votos nas pesquisas. Nunca chegou aos 14% que citou. Esse percentual também não foi o que levou Lula ao segundo turno. Naquela eleição, o petista teve 17,18% dos votos.

Nas pesquisas de intenção de voto do Datafolha, Afif tinha 1% em abril de 1989, foi a 8% no início de outubro e, no último levantamento do instituto, no fim de outubro daquele ano, apareceu com 5%. Já nas pesquisas do Ibope, tinha 4% em 21 de setembro e 8% em 11 de outubro.

Procurado, Afif não retornou.


“Onde está o maior índice de desemprego? Entre os jovens”
Guilherme Afif Domingos, pré-candidato pelo PSD à Presidência da República, em entrevista ao programa Roda Viva no dia 10 de julho

VERDADEIRO

Os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Trimestral, do IBGE, mostram que 43,6% dos jovens de 14 a 17 anos e 28,1% dos de 18 a 24 anos estavam desempregados no 1º trimestre de 2018. Nas outras faixas etárias, o percentual de desempregados atinge menos de 15% do total.

Além disso, a Carta de Conjuntura, lançado pelo Ipea em setembro de 2017, informa que os jovens são os mais desempregados e têm maior chance de serem despedidos. Entre 2012 e 2017, cresceu de 5,3% para 7,3% o índice de trabalhadores com 18 a 24 anos que estão desempregados. Além disso, o salário dos jovens também caiu 0,5% de 2016 a 2017.  

Editado por: Cristina Tardáguila e Natália Leal

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo