A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Exageros de Manuela D’Ávila e Henrique Meirelles nas convenções partidárias

Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
06.ago.2018 | 06h51 |

Henrique Meirelles é o candidato à presidência do MDB, anunciado na última semana. Manuela D’Ávila chegou a ter sua candidatura oficializada pelo PC do B na última quarta-feira (2), mas, no domingo, o partido decidiu fechar aliança com o PT e retirou o nome dela da disputa. A expectativa é de que a gaúcha assuma a vaga de vice-presidente na chapa petista, que deve ser encabeçada pelo ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad. A Lupa checou frases de Meirelles e Manuela nas cerimônias ocorridas ao longo da última semana. Veja o resultado:

“Foram as mulheres (…) que se levantaram mais fortemente [nas manifestações contra o impeachment de Dilma Rousseff]”
Manuela D’Ávila (PCdoB) em discurso na convenção do partido, no dia 1º de agosto de 2018

EXAGERADO

Segundo o Datafolha, as mulheres eram 40% dos manifestantes contra o impeachment em ato na Avenida Paulista, em São Paulo no dia 16 de dezembro de 2015. Em 31 de março de 2016, elas foram 47% dos participantes da manifestação ocorrida na Praça da Sé, também em São Paulo, de acordo com pesquisa da Universidade de São Paulo (USP). Procurada, Manuela D’Ávila não respondeu.


“Entre desempregados e subocupados são 25 milhões de brasileiras e brasileiros”
Manuela D’Ávila (PC do B) em discurso na convenção do partido, no dia 1º de agosto de 2018

EXAGERADO

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Trimestral (Pnadc/T), do IBGE, indica que havia 19,8 milhões de desempregados ou subocupados no Brasil no primeiro trimestre deste ano. Os desempregados (que não têm trabalho, mas procuram emprego) somavam 13,7 milhões, e os subocupados (que trabalham menos horas do que gostariam), 6,1 milhões. Procurada, Manuela D’Ávila não respondeu.


“Já apresentamos 15 propostas ao Congresso Nacional que serão prioridade do nosso governo”
Henrique Meirelles, candidato pelo MDB à Presidência da República, em discurso na convenção do partido, no dia 2 de agosto de 2018

EXAGERADO

Em fevereiro de 2018, Meirelles, então ministro da Fazenda, nomeou 15 projetos classificados pelo governo como prioritários para o país. Mas desses, só dois eram, de fato, novidade: a reforma do PIS/Cofins, que ainda não foi apresentada ao Congresso, e a extinção do Fundo Soberano do Brasil, estabelecida como Medida Provisória (MPV 808/2018) em maio. As outras 13 propostas elencadas como prioridade já tramitavam na Câmara ou no Senado em fevereiro. Nove delas eram de autoria dos próprios parlamentares. Quatro foram elaboradas pelo Executivo. Até agora, apenas a desoneração da folha de pagamento foi aprovada e sancionada. Procurado, Meirelles não respondeu.


“Minha meta é fazer o Brasil voltar a crescer 4% ao ano, como aconteceu quando fui presidente do Banco Central durante oito anos”
Henrique Meirelles, candidato pelo MDB à Presidência da República, em discurso na convenção do partido, no dia 2 de agosto de 2018

VERDADEIRO

Segundo dados do Ipea, do início de 2003 ao fim de 2010, o Brasil cresceu 37,4%, o que representa um crescimento médio de pouco mais de 4% ao ano. Veja os dados aqui.

Editado por: Natália Leal

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo