A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: Imagem apresentada como ‘capa do kit gay’ não está no material

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
30.ago.2018 | 11h30 |

Circula nas redes sociais e nos grupos de WhatsApp uma imagem que supostamente seria a capa do “kit gay”, como ficou conhecido o material elaborado em 2011 para promover a não-discriminação por orientação sexual nas escolas. Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que essa informação fosse analisada. Confira a seguir o trabalho de verificação feito pela Lupa:

“Isso (imagem acima) é a capa do kit gay”
Imagem postada no Facebook e em grupos de WhatsApp nas últimas semanas. Veja exemplos (aqui, aqui, aqui e aqui)

FALSO

Todo o material produzido em 2011 para tentar combater a homofobia em escolas – conteúdo que ficou popularmente conhecido como “kit gay” – pode ser visto aqui. A imagem acima não aparece em nenhum de seus onze componentes, como afirmam as postagens analisadas pela Lupa.

Esse material foi elaborado por organizações do terceiro setor quando o hoje candidato à vice-presidente pelo PT, Fernando Haddad, comandava o Ministério da Educação, mas nunca chegou a ser aprovado ou distribuído em escolas.

Em 2011, cinco ONGs prepararam o conteúdo como parte do programa federal Brasil Sem Homofobia, que também previa a formação de educadores capazes de tratar questões relacionadas a gênero e sexualidade no ambiente escolar. O kit consistia em um caderno direcionado aos gestores, seis boletins destinados aos estudantes, três peças audiovisuais e um cartaz.

Quando já estava pronto para ser impresso – mas ainda antes de ser avaliado pelo Ministério da Educação -, parlamentares iniciaram uma campanha contra o projeto, e ele acabou sendo suspenso.

À época, a presidente Dilma Rousseff (PT) se envolveu na polêmica e declarou o seguinte: “não vai ser permitido a nenhum órgão do governo fazer propaganda de opções sexuais”.

As postagens analisadas pela Lupa afirmam que a imagem acima é uma reprodução de uma das capas do kit. Não é verdade. Abaixo estão todas as capas e links para os vídeos originais. Confira:

Caderno:

Seis boletins:

Cartaz:

E, aqui, os links para os três vídeos: aqui, aqui e aqui.

Desde 2011, no entanto, a falsa reprodução circula na internet e ganha força sempre que Haddad concorre a algum cargo público. Foi o que ocorreu em 2012, quando ele disputou a Prefeitura de São Paulo, em 2015, um ano antes de tentar a reeleição e, agora.

Geralmente essa imagem vem acompanhada de texto opinativos. Por questões metodológicas, a Lupa ateve-se a avaliar se a foto era ou não parte do “kit gay”.

*Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook.

Editado por: Chico Marés e Cristina Tardáguila

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo