A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: Em vídeo, Patrícia Pillar nega ter sido vítima de agressão por parte de Ciro Gomes

por Cristina Tardáguila
20.set.2018 | 10h06 |

Circula na internet uma foto da atriz, diretora e produtora Patrícia Pillar, ex-mulher do candidato do PDT à Presidência da República, Ciro Gomes, acompanhada de uma declaração em que ela estaria lembrando os eleitores de que o político a agredia. Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“Quem me batia era o Ciro Gomes. Patrícia Pillar”
Frase que acompanha imagem da atriz e diretora (aqui, aqui, aqui e aqui) e que, até as 23h30 do dia 19 de setembro de 2018 já tinha sido compartilhada mais de 30 mil vezes no Facebook

FALSO

Na noite da quarta-feira (19), a atriz, diretora e produtora postou um vídeo em seu perfil de Twitter classificando a informação de que já foi agredida por Ciro Gomes como “totalmente falsa”. Sem citar o nome dos dois presidenciáveis nomeados na imagem acima – Ciro e Jair Bolsonaro (PSL), Patrícia Pillar fez o seguinte alerta:

“Estão usando minha imagem para divulgar notícias falsas, favorecendo um candidato que jamais seria o meu. Eu nunca sofri nenhum tipo de violência da parte de ninguém. Isso é totalmente falso”.

Em março deste ano, Patrícia declarou voto em Ciro. Numa entrevista ao jornal O Globo, disse o seguinte: “Voto nele [Ciro], claro. O panorama ainda está indefinido [Ciro ainda era pré-candidato pelo PDT], mas não há a menor chance de o meu voto não ser dele”.

Em agosto, disse à Veja que o apoiaria, mas que não faria parte de sua campanha.

Patrícia e Ciro foram casados por mais de uma década, e se separaram em 2012. O ponto mais polêmico da relação dos dois se deu em 2002. Naquele ano, Ciro era candidato à presidência pelo PPS e disse que Patrícia tinha um dos papéis mais importantes da campanha, que era dormir com ele.

Checagem semelhante foi feita pelo site Boatos.org.

*Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook.

Editado por: Clara Becker

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo