A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: Ataque virtual a repórter da Folha expõe foto de jornalista homônima

Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
26.set.2018 | 16h37 |

Desde o início da tarde desta quarta-feira (26), a foto da jornalista Marina Dias, que trabalha na revista Encontro BH, está sendo utilizada nas redes sociais para atacar uma de suas homônimas, a repórter Marina Dias que trabalha no jornal Folha de S.Paulo e que na última terça-feira (25) escreveu uma reportagem sobre Jair Bolsonaro, candidato do PSL à Presidência da República.

No texto, assinado por Marina e pelo jornalista Rubens Valente, são revelados registros feitos pelo Itamaraty de uma ameaça de morte feita pelo candidato a sua ex-mulher Ana Cristina Valle, em 2011. Segundo ela contou ao órgão, a ameaça ocorreu em 2009, quando ela e Bolsonaro travavam disputa sobre a guarda do filho do casal. Ontem, a ex-mulher do candidato do PSL foi às redes sociais, negou o conteúdo da reportagem e reforçou seu apoio a Bolsonaro.

Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que essa foto fosse analisada. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“[Esta é] A ‘jornalista’ da Folha de SP [que escreveu sobre Bolsonaro]”
Texto que acompanha foto acima (aqui) e que, até às 16h do dia 26 de setembro de 2018 já tinha sido compartilhada mais de 38 mil vezes no Facebook

FALSO

Como dito anteriormente, a foto acima não é da jornalista Marina Dias, do jornal da Folha de S. Paulo, mas de uma jornalista que também se chama Marina Dias e trabalha na revista Encontro BH, em Minas Gerais. A confirmação foi feita pela direção do jornal em São Paulo.

Além de ter sua foto divulgada nas redes de forma pejorativa, usuários do Twitter também divulgaram a conta pessoal da jornalista de Belo Horizonte na rede social, bem como seu e-mail e telefone pessoal. Desde então, ela tem sido alvo de ofensas e ameaças nesses três canais.

Em nota, a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo afirmou que se trata de “mais um grave atentado à liberdade de expressão. Eis o texto na íntegra:

“O assédio direcionado a uma jornalista por causa de seu trabalho atingiu, desta vez, um novo — e pior — patamar, ao expor de maneira criminosa dados pessoais de outra profissional, alastrando as agressões. Trata-se de mais um grave atentado à liberdade de expressão.”


“[A jornalista Marina Dias] é filha do secretário nacional de comunicação do PT”
Texto que acompanha foto acima (aqui) e que, até às 16h do dia 26 de setembro de 2018 já tinha sido compartilhada mais de 38 mil vezes no Facebook

FALSO

A jornalista Marina Dias, que trabalha no jornal Folha de S.Paulo, é filha de José Américo Dias, que atualmente é deputado estadual em São Paulo pelo PT. Desde agosto de 2017, o secretário nacional de comunicação da sigla é Carlos Árabe. Esta informação consta no site da legenda e foi reconfirmada pelo partido, por telefone, na tarde desta terça-feira (26).

*Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook.

Editado por: Cristina Tardáguila e Clara Becker

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo