A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Bolsonaro e Haddad iniciam 2º turno com entrevistas ao Jornal Nacional

por Chico Marés, Leandro Resende e Nathália Afonso
08.out.2018 | 21h58 |

Menos de 24h depois de anunciados no 2º turno da disputa pelo Palácio do Planalto Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) concederam entrevistas ao Jornal Nacional e falaram sobre polêmicas recentes envolvendo suas campanhas à Presidência da República. A Lupa checou algumas de suas falas. Veja a seguir:

“Tendo apenas 20 dias de campanha, atingi 29% dos votos, mais de 30 milhões de votos”
Fernando Haddad (PT)

VERDADEIRO

Fernando Haddad se tornou candidato à Presidência da República pelo PT no dia 11 de setembro, 26 dias antes do primeiro turno das eleições. Antes, ele posicionava-se publicamente como o candidato a vice na chapa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, cujo registro de candidatura foi indeferido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O nome Haddad como cabeça de chapa foi aceito pelo TSE no dia 25 de setembro. No domingo (7), ele recebeu 31,3 milhões de votos – 29,28% dos válidos.  


“[Nosso plano de governo] Prevê isenção de imposto de renda para quem ganha até cinco salários mínimos, proposta defendida por nós desde janeiro de 2018”
Fernando Haddad (PT)

VERDADEIRO

A proposta citada por Haddad no Jornal Nacional consta na página 5 do plano de governo registrado por Haddad no TSE: “Quem vive do seu trabalho e recebe até 5 salários mínimos, por exemplo, ficará isento do pagamento do Imposto de Renda. Em compensação, o “andar de cima”, os super-ricos, pagarão mais”. Em dezembro de 2017, a coluna Painel, da Folha de S. Paulo, noticiou que a cúpula petista já estudava propor a ideia no plano de governo do então pré-candidato Lula.


“[Trabalharemos pela] Redução da nossa maioridade penal, que é o povo quer e deseja”
Jair Bolsonaro (PSL)

VERDADEIRO

O programa de governo que o candidato Jair Bolsonaro enviou ao TSE, de fato, propõe a redução da maioridade penal de 18 para 16 anos. O documento informa que essa medida irá auxiliar na redução de homicídios, roubos, estupros e outros crimes. Segundo pesquisa divulgada no início do ano pelo Datafolha, 84% dos brasileiros eram favoráveis à redução da maioridade penal de 18 para 16 anos. Apenas 14% dos entrevistados se declarou contra, e 2% deles não responderam. Dentro dos 84% que querem a redução, 64% acreditavam que a lei deveria valer para qualquer crime e somente 36% acreditava que ela deve ser para crimes específicos. Em 2015, estudo semelhante, também feito pelo Datafolha, indicava que 87% dos brasileiros concordavam com a redução da maioridade penal.  


“Nunca alguém que fez oposição ao PT teve votação tão expressiva [no Nordeste]”
Jair Bolsonaro (PSL)

VERDADEIRO, MAS

Segundo dados do TSE, Bolsonaro teve 7.453.186 votos no Nordeste no último domingo (7). Em números absolutos, o resultado do deputado do PSL-RJ foi o melhor obtido por qualquer candidato não-petista em pleitos presidenciais desde 2006 (ano em que Lula tentou sua primeira reeleição e, a partir do qual já se podia falar em “oposição ao PT” no governo federal). O segundo melhor desempenho observado até agora em primeiros turnos tinha sido registrado por Geraldo Alckmin (PSDB) em 2006. No primeiro turno daquele ano, o tucano teve 6.514.319 votos no Nordeste. Mas, se considerada a proporção que esses números representam sobre o total de votos válidos da região, Alckmin foi melhor. Em 2006 fez 26,15% dos votos válidos, contra os 25,86% de Bolsonaro no último domingo.

Editado por: Cristina Tardáguila e Natália Leal

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo