A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: Notícia falsa sobre dipirona da Venezuela com ‘vírus perigosíssimo’ volta a circular

por Clara Becker
07.nov.2018 | 18h54 |

Circula nas redes sociais e no WhatsApp a “notícia” de que uma nova dipirona importada da Venezuela, “Dipirona S-500”, conteria um “vírus perigosíssimo”. Por meio do projeto de verificação de notícias, alguns dos usuários do Facebook solicitaram que essa informação fosse verificada. Confira a seguir a análise da Lupa:

“O medicamento exposto abaixo, Dipirona S-500, importado da Venezuela, contém um vírus perigosíssimo, não tomem… !”  

Texto que acompanha imagem (aqui e aqui) e que juntos já tinham 737 compartilhamentos às 18h30 do dia 7 de novembro de 2018

FALSO

Num post publicado na página do Ministério da Saúde no último dia 5, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informa que a “notícia” sobre a dipirona importada da Venezuela conter o vírus é falsa.

Em junho deste ano, o mesmo boato chegou a ter 21 mil compartilhamentos nas redes e foi desmentidos pela Lupa. À época, a Anvisa esclareceu que medicamentos vendidos no Brasil e que possuem registro na agência têm “eficácia e segurança avaliadas antes da entrada no mercado”.

*Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook.

Editado por: Cristina Tardáguila

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo