A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falsa informação de que ‘Black Friday’ começou na escravidão

Editor | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
26.nov.2018 | 16h41 |

Circulam nas redes sociais imagens que “informam” que a expressão “Black Friday” (sexta-feira negra, em inglês) teria origem na venda de escravos. Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“A origem da Black Friday vem dos EUA na época da escravidão, quando os africanos eram comercializados a preço mais barato para os grandes proprietários de terra na última sexta feira de novembro”
Imagens publicadas no Facebook (aqui e aqui) e que até as 14h40 do dia 26 de novembro de 2018 já tinham cerca de 200 compartilhamentos

FALSO

A expressão “Black Friday” (sexta-feira negra, em inglês) é usada nos Estados Unidos para designar a sexta-feira seguinte ao Dia de Ação de Graças (Thanksgiving Day). Esse feriado é comemorado na quarta quinta-feira de novembro. Atualmente, a sexta-feira seguinte marca o início da temporada de compras de Natal e, recentemente, se tornou um dia em que as lojas vendem seus produtos com grandes descontos.

Segundo o site Snopes, uma das principais plataformas de checagem dos Estados Unidos, o uso da expressão Black Friday para designar a quarta sexta-feira de novembro foi registrado em 1951, quase cem anos depois da abolição da escravatura nos Estados Unidos. O termo foi usado, de forma jocosa, para se referir ao grande número de pessoas faltando ao trabalho, alegando que estavam doentes nesta data para poder “emendar” o feriado, alegando ironicamente que havia uma epidemia de “ação-de-graças-tite”.

Nos anos 1960, a expressão passou a ser usada na Filadélfia para designar o excesso de pessoas fazendo compras de Natal naquele dia em particular, o que era visto como um problema pela polícia e por lojistas. Aos poucos, o nome “pegou” na região para designar a data e, junto com as ofertas, se tornou um evento popular em todo o país a partir da década de 1990.

Há outros registros do uso da expressão “Black Friday” em outros contextos. Em 24 de setembro de 1869, uma sexta-feira, uma grave crise financeira começou nos Estados Unidos a partir da queda drástica do valor do ouro. Esse dia foi chamado de “sexta-feira negra”. Em 8 de setembro 1978, também uma sexta-feira, um massacre de civis no Irã também ganhou esse nome. Entretanto, não há qualquer registro relacionando a expressão “Black Friday” à escravidão.

Essa falsa informação circula desde, pelo menos, 2015, e também já foi verificada pelos sites e-Farsas e Boatos.org.

*Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook.

Editado por: Cristina Tardáguila

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo