A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: Não foi feito no Brasil vídeo de homem roubando conteúdo de malas em avião

por Chico Marés
04.dez.2018 | 18h35 |

Circula nas redes sociais um vídeo que mostra um suposto funcionário da Gol roubando malas dentro de um avião. Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“Por favor, passar para muitos grupos, fazer chegar a todas as companhias aéreas, e as autoridades dos aeroportos poderem vir a saber o que seus funcionários fazem. Essa aeronave é da Gol Linhas Aéreas”
Vídeo publicado no Facebook e que até as 18h30 do dia 4 de dezembro de 2018 já tinha mais de 100 mil compartilhamentos no Facebook

FALSO
 

O vídeo analisado pela Lupa é real, mas não tem nada a ver com a Gol nem foi filmado no Brasil. Em 12 de outubro de 2017, Abdullah Hayee Mayeh, funcionário terceirizado do aeroporto de Phuket, na Tailândia, foi preso após ser flagrado roubando conteúdo de algumas malas dentro de um vôo da companhia australiana Jetstar.

À época, o vídeo viralizou e chegou a ser compartilhado no Whatsapp como se tivesse sido gravado no Brasil. O site Boatos.org verificou esta informação em 2017.

*Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook.

Editado por: Cristina Tardáguila

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo