A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: Jean Wyllys não convidou ‘dezenas de ativistas para ocuparem galerias na posse de Bolsonaro’

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
18.dez.2018 | 22h51 |

Circula nas redes sociais a “notícia” de que os partidos de oposição ao presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), teriam cedido ao deputado-federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) todos os ingressos que darão acessos às galerias no dia da posse presidencial para que ele convidasse dezenas de ativistas para o evento. O texto ainda “informa” que Wyllys compareceria ao ato vestindo um uniforme da Guarda Bolivariana Cubana. Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que o material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“O deputado Jean Wyllys convidou dezenas de ativistas (LGBT, CUT, MST, MTST, etc) Ele próprio já disse que irá usar um uniforme da Guarda Bolivariana Cubana e ficará com seus convidados na galeria”
Imagem que até as 16h30 do dia 17 de dezembro de 2018 já tinha sido compartilhada mais de 700 vezes no Facebook

FALSO

Procurada, a assessoria de imprensa do Senado Federal, responsável pela organização da cerimônia no Congresso, esclareceu que todos os parlamentares da atual Legislatura, reeleitos e não reeleitos, bem como os novos parlamentares eleitos nas eleições gerais de 2018 foram convidados para a posse presidencial e que os convites são pessoais e não podem ser transferidos. Ou seja, o deputado Jean Wyllys não poderia convidar ativistas para irem ao evento no lugar de parlamentares ausentes.  

A assessoria de imprensa do deputado confirmou que o parlamentar não convidou ninguém para o evento e que nem ele próprio pretende ir à cerimônia de posse de Bolsonaro.

Questionada sobre o possível uniforme da Guarda Bolivariana, a assessoria de Wyllys acrescentou, em nota “que qualquer cidadão minimamente informado sobre os artigos publicados pelo deputado Jean Wyllys e as declarações dele à imprensa sabe que o deputado nunca apoiou a ditadura de Maduro e, por esse motivo, já foi muito criticado ao longo dos últimos anos por outros setores da esquerda que defendem o atual regime venezuelano”.

O deputado-federal Paulo Pimenta (PT-RS), líder do partido na Câmara, informou à Lupa que a orientação é para que os parlamentares petistas não compareçam ao evento. A informação de que esses convites seriam repassados ao Jean Wyllys é falsa.

*Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook.

Editado por: Cristina Tardáguila

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo