A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Lula beija Gleisi; Aécio beija Moro; Marco Aurélio com Fidel e Maduro na Parada Gay

Fundadora | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
24.dez.2018 | 12h00 |

Checar notícias falsas é – na maioria esmagadora dos dias – função avessa a gargalhadas. Mas, na última semana, foi diferente. Deu para rir alto de algumas imagens e legendas absurdas que verificamos. Falo de fotos reais acompanhadas de textos falsos e de imagens que foram maliciosamente adulteradas para forjar narrativas distorcidas. Falo especificamente de quatro postagens compartilhadas mais de 2 mil vezes no Facebook e que mostram que 2018 foi mesmo o ano do vale-tudo nas fake news. O ano do ódio.

Na última quinta-feira (20), quando cheguei à redação, vi que usuários do Facebook tinham solicitado que a Agência Lupa checasse um texto e uma foto que buscavam convencer os desatentos de que o hoje ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello havia sido flagrado ao lado do ex-ditador cubano Fidel Castro.

No dia anterior, Marco Aurélio expediu uma polêmica liminar, permitindo que presos após condenação em segunda instância pudessem solicitar sua libertação até o julgamento de todos os recursos a que têm direito – algo que poderia beneficiar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, entre muitos outros. Para as redes, Marco Aurélio tinha cruzado a linha do aceitável. Passado a ser um comunista de carteirinha, e a foto ao lado de Fidel era a prova cabal disso.

Talvez pelo cansaço, talvez pelo espírito de fim de ano, ri alto. Na imagem analisada pela Lupa, não se vê Marco Aurélio Mello, mas o jornalista Ricardo Noblat, hoje na revista Veja. E mais: a mesma imagem – e a mesma narrativa – já havia sido usada em julho deste ano para atacar o desembargador Rogério Favreto, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

No dia 8 daquele mês, Favreto decidira pela soltura do ex-presidente Lula, e as redes sociais também haviam usado a foto de Noblat para atacá-lo na posição de comunista. As duas decisões foram revertidas e, portanto, não tiveram efeito algum. A íntegra da checagem da Lupa pode ser lida aqui.

A terça-feira (18) já tinha sido marcada por imagens falsas divertidas. Lula apareceu no Facebook sendo beijado pela senadora Gleisi Hoffman. O estalinho teria ocorrido após uma missa em homenagem a Marisa Letícia! E o senador Aécio Neves foi fartamente criticado no Facebook por ter beijado a bochecha do juiz e futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro.

Agora, espiem só como, na verdade, Aécio beijara o ator Marcos Frota, e o alvo do beijo de Lula não foi a senadora Gleisi, mas sim a sindicalista Alzira Hardtkopp Martins.

As redes sociais, no entanto, sempre preferem as narrativas fáceis, odiosas, polêmicas. Não importa o campo político. E a história dos dois beijoqueiros combinava bem.

Seguindo a linha do “amor”, na segunda-feira (17), pintou na lista de pedidos de verificação uma fotografia que teria sido “proibida na Venezuela”. Uma imagem de Nicolás Maduro, ainda jovem, de mãos dadas com outro homem. Falso. Não passava de uma montagem feita a partir de um registro realizado pelo repórter fotográfico franco-argelino Jean Pierre Laffont durante a segunda Parada do Orgulho Gay de Nova York, em 1971. Veja aqui a checagem.

Não há como computar o número de pessoas alcançadas por essas quatro informações falsas. Os dados do Facebook não são transparentes nesse nível. Também é impossível saber o total de pessoas que acreditaram nessas informações. Daí a necessidade de continuar checando.

Por hora, acrescento uma reflexão: enganam-se aqueles que pensam que é preciso ser genial ou mesmo jornalista profissional para descobrir que essas imagens não condizem com a realidade. Há ferramentas simples e gratuitas, todas elas disponíveis na internet, para que cidadãos de todas as idades e de todas as profissões possam fazer suas próprias verificações. O que falta é conhecimento.

E segue aqui um convite: o LupaEducação retoma suas oficinas em 19 de janeiro de 2019, com um workshop de checagem voltado só para imagens. Serão duas horas de exercícios práticos. Coisa objetiva.

É que o Brasil precisa de mais checadores de fotos – e de mais gargalhadas também.

*Este artigo foi publicado pelo site da revista Época em 24 de dezembro de 2018.

Editado por: Natália Leal

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo