A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Foto: Reprodução Twitter
Foto: Reprodução Twitter

#Verificamos: É falso que lutadora de MMA teve prisão decretada após reagir a assalto no RJ

por Chico Marés
08.jan.2019 | 18h06 |

Circula nas redes sociais “notícia” de que um promotor de Justiça decretou a prisão da lutadora de MMA Polyana Viana, que reagiu a um assalto no Rio de Janeiro, no último sábado. Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“Promotor manda prender lutadora de UFC que reagiu a assalto e espancou criminoso no Rio de Janeiro”
Texto publicado nos sites OCongresso.com, Deus Acima de Tudo, PresidenteBolsonaro.com, Tribuna PB, Click Paraná, Blog do Davi Diniz e RO1 News, com mais de 21,5 mil compartilhamentos no Facebook até as 15h do dia 8 de janeiro

FALSO

Segundo a “notícia”, um promotor chamado Jean Carlos Rosário teria decretado a prisão da lutadora porque “ela usou demasiada força para se defender e acabou ferindo gravemente o rapaz que não teve como se defender e acabou sendo internado”.

Não existe nenhum promotor do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) ou do Ministério Público Federal (MPF) com esse nome. Além disso, não cabe a um promotor de Justiça decretar, unilateralmente, a prisão de uma pessoa.

O texto diz, ainda, que a lutadora será indiciada pelos crimes de “lesão corporal grave e excesso de legítima defesa”. O Código Penal não prevê o crime de “excesso de legítima defesa”.

Em nota, o MPRJ confirmou que não tem nenhum promotor chamado Jean Carlos Rosário em seus quadros e afirmou que “ somente o assaltante passou por audiência de custódia, tendo sido mantida sua prisão”.

*Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook.

Editado por: Natália Leal

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo