A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Mísseis, tanques e caças: as notícias falsas na fronteira do Brasil com a Venezuela

Fundadora | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
04.mar.2019 | 16h01 |

Bastou que Nicolás Maduro determinasse o fechamento da fronteira entre Venezuela e Brasil para que, no último dia 21, a roda das notícias falsas começasse a girar em altíssima velocidade. Nas últimas semanas, dezenas de imagens e vídeos mostrando tanques e caças militares, prontos para iniciar uma guerra entre as duas nações, viralizaram no Facebook, no Twitter e no WhatsApp, espalhando pânico indevido. Até a última sexta-feira (1), não passavam de registros antigos – requentados para alimentar o temor – ou capturados em outras partes do país, sendo espalhados a torto e a direito para enganar os mais desinformados.

Por má fé ou ingenuidade? Não é possível atestar. Mas, no dia 27, um vídeo de mais de dois minutos de duração, mostrando tanques militares brasileiros se movimentando na calada da noite ganhou força no Facebook e chamou atenção dos checadores profissionais. A legenda que o acompanha passava um “alerta”: “Urgente, isto foi agora há pouco! Brasil posiciona tanques de guerra na fronteira com a Venezuela”. Falso! O mesmo vídeo já está disponível na internet desde abril de 2016. Na postagem mais antiga, há comentários que indicam que ele foi filmado em Curitiba, durante a organização da 4ª Expo Militar, que ocorreu no Parque Barigui. Mas, na hora em que a checagem relativa a esse vídeo foi publicada, ele já tinha sido visualizado 23 mil vezes e já colecionava mais de 1,4 mil compartilhamentos.

No dia seguinte, “vieram” os caças bolivarianos – aparelhos de fabricação russas que estariam supostamente sobrevoando o espaço aéreo brasileiro. Mais um conteúdo extremamente grave, criado e disseminado nas bolhas da desinformação. A postagem, checada pela Lupa, exibia uma foto de duas aeronaves que realmente foram compradas pela Venezuela da Rússia em 2006, mas trazia a “notícia” de que elas estavam na fronteira entre os dois países. Falso. A imagem compartilhada circula nas redes sociais desde 2014 e, segundo a própria Força Aérea Brasileira (FAB), até a última quinta-feira (28), o espaço aéreo do Brasil estava preservado. O post falso, no entanto, se popularizou: 2,1 mil compartilhamentos no Facebook.

 

E os mísseis venezuelanos “apontados para o Brasil”, hein? Ah! Você deve ter visto ou ouvido falar deles… Ficaram famosos no Twitter.

Mas uma busca simples pela imagem revela que ela é antiga. Está nas redes desde, pelo menos, 27 de junho de 2018. Além disso, até a última sexta-feira (1), a Secretaria Especial de Comunicação Social informava que não tinha qualquer informação sobre o posicionamento de mísseis na fronteira entre a Venezuela e o Brasil. O ministério da Defesa, por sua vez, também dizia que não existia qualquer informação oficial sobre essa ação – compartilhada nas redes sociais como um conteúdo “exclusivo”.

*Este artigo foi publicado no site da revista Época em 4 de março de 2019.

Editado por: Nathália Afonso

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo