A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: Denunciado por homicídio de Marielle não morava em uma das casas de Bolsonaro

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
21.mar.2019 | 17h42 |

Circula nas redes sociais a informação de que a casa onde morava o policial militar reformado Ronnie Lessa, um dos suspeitos de matar a vereadora carioca Marielle Franco (PSOL), constaria na declaração de bens do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

A casa onde mora o matador de Marielle e Anderson pertence ao presidente Bolsonaro, está na declaração de bens dele ao TSE
Publicação que, até as 17h30 do dia 13 de março de 2019, tinha sido compartilhada ao menos mil vezes no Facebook

FALSO

Ronnie Lessa, apontado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) como autor dos disparos contra a vereadora Marielle Franco, é vizinho do presidente Jair Bolsonaro (PSL), mas sua casa não está no nome do presidente.

Segundo o jornal O Globo, o inquérito da Polícia Civil que investiga o caso especifica que Lessa reside na casa 65/66 do Condomínio Vivendas da Barra, na Barra da Tijuca, zona Oeste do Rio de Janeiro. Reportagens de Folha de São Paulo e Época confirmam que a casa geminada alugada por Lessa é a de número 65/66. Essa casa não consta na declaração de bens do presidente Bolsonaro ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Segundo o TSE, Bolsonaro é proprietário de duas casas no condomínio Vivendas da Barra: uma de número 36 e outra de número 56. Elas foram declaradas no valor de R$603,8 mil e R$ 400 mil, respectivamente.

A informação também foi verificada pelo jornal O Globo e pelo site Aos Fatos.

Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo