A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falso que Bolsonaro votou a favor de arquivamento de denúncias contra Temer

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
25.mar.2019 | 18h18 |

Circula nas redes sociais foto do presidente Jair Bolsonaro (PSL) acompanhada de texto dizendo que ele votou “contra o impeachment” do ex-presidente Michel Temer (MDB).  Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“Será que dá para apagar aquele vídeo que votei contra o impeachment do Temer (…)”
Texto em imagem publicada no Facebook, que até as 17h do dia 25 de março de 2019, havia sido compartilhada 4,6 mil vezes

FALSO

Ao longo de seus dois anos e meio de mandato, Michel Temer (MDB) não chegou a ser alvo de um processo de impeachment. Ele foi, na verdade, denunciado por crime de corrupção passiva duas vezes, por parte da Procuradoria-Geral da República (PGR). Nesse caso, pela legislação, Temer deveria ser afastado da presidência para que o julgamento prosseguisse, mas o afastamento precisaria ser autorizado pela Câmara. Nas duas ocasiões, o plenário da Casa votou contra a aceitação da denúncia, mas Jair Bolsonaro (então deputado federal pelo PSC-RJ) votou a favor do prosseguimento.

A primeira denúncia foi apresentada no dia 26 de junho de 2017 pelo procurador-geral à época, Rodrigo Janot. A comissão que analisou o caso apresentou parecer indeferindo a ação. O parecer foi votado em plenário no dia 2 de agosto. Bolsonaro votou contra o indeferimento, ou seja, a favor do prosseguimento da ação. O parecer, no entanto, foi aprovado por 267 votos a 227, livrando Temer do processo.

Um mês depois dessa votação, em 14 de setembro de 2017, o ex-presidente foi denunciado pela segunda vez. Novamente, uma comissão analisou o caso e votou pelo indeferimento da ação. Bolsonaro, mais uma vez, votou contra o indeferimento e, assim como na votação anterior, o parecer foi aprovado, desta vez por 251 votos a 233.


“(…) E o outro que eu dizia que era um crime uma pessoa se aposentar somente aos 65 anos de idade?”
Texto em imagem publicada no Facebook, que até as 17h do dia 25 de março de 2019, havia sido compartilhada 4,6 mil vezes

VERDADEIRO, MAS

Em discurso feito quando ainda era deputado federal, Bolsonaro declarou o seguinte: “A expectativa de vida no Nordeste está na casa dos 70 anos. Querer aprovar uma reforma com 65 anos [como idade mínima para aposentadoria], é, no mínimo, uma falta de humanidade. Querer uma contribuição de 49 anos, isso é um crime.”

Ele comentava a proposta de reforma da previdência do então presidente Michel Temer, a PEC 287/2016, que estabelecia, inicialmente, idade mínima de 65 anos e 49 anos de contribuição para receber a aposentadoria integral. Durante a tramitação do projeto, o limite de idade foi reduzido para 62 anos para mulheres e a contribuição mínima para aposentadoria integral passou para 40 anos.

A PEC 6/2019, apresentada pelo poder Executivo em fevereiro, prevê uma idade mínima de 62 anos para mulheres, 65 anos para homens e aposentadoria integral após 40 anos de contribuição.

Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook.

Editado por: Natália Leal

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo