A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: Mistura de casca de ovo e água quente não é recomendada para tratamento de pele

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
07.maio.2019 | 20h26 |

Circula em redes sociais uma receita para produzir ácido hialurônico em casa. A substância, usada em tratamentos cosméticos, poderia, segundo a publicação, ser sintetizada utilizando cascas de ovos e água quente. Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“Atrase o envelhecimento fazendo (…) ácido hialurônico em casa”
Título de conteúdo que, até as 18h do dia 7 de maio de 2019, tinha mais de 740 compartilhamentos no Facebook

FALSO

O conteúdo analisado pela Lupa é falso. Há pesquisas que mostram ser possível sintetizar ácido hialurônico a partir de cascas de ovo. Porém, ao contrário do que o conteúdo ensina, se trata de um processo que não pode ser reproduzido em casa, pois exige reagentes e temperaturas específicas que só podem ser alcançados adequadamente em laboratório.

O ácido hialurônico é uma substância utilizada para melhorar a hidratação da pele e tratar rugas, entre outras coisas. No conteúdo que circula em redes sociais, é afirmado que, para obter essa substância, basta jogar uma determinada quantidade de água fervente em cascas de ovos quebrados e coar o líquido com uma peneira fina.

Em nota, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) classificou a informação como falsa, e explicou que “não é possível reproduzir essa técnica da indústria [farmacêutica] em casa”. “Os laboratórios produzem diversas pesquisas para desenvolver o peso molecular adequado do ácido hialurônico para cada produto, inclusive, muitos medicamentos possuem mais de um peso molecular para conseguir um tratamento eficaz”, diz a nota.

A SBD alerta também para os riscos da automedicação. “Buscar receitas milagrosas na internet e tratamentos em sites de compras coletivas por preços muito baixos pode gerar sérios riscos para saúde”, diz a nota.

Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo