A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falso que Santa Catarina tenha mais armas e a menor taxa de homicídios do país

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
23.maio.2019 | 18h49 |

Circula pelas redes sociais texto que afirma que Santa Catarina é o estado com maior número de armas e também a menor taxa de homicídios no país. O texto usa os números na tentativa de provar que a violência diminui quando se arma a população, como defende o presidente Jair Bolsonaro (PSL). Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“Santa Catarina, o estado mais armado do país (…)”
Título de texto feito pelo site Jornal da Cidade Online que, até as 16h30 do dia 23 de maio de 2019, tinha sido compartilhado mais de 25,9 mil vezes pelo Facebook

FALSO

Santa Catarina não é o estado mais armado do país, segundo os dados do Sistema Nacional de Armas (Sinarm) da Polícia Federal. Proporcionalmente, Distrito Federal, Acre e Rio Grande do Sul têm mais armas registradas oficialmente.

De acordo com o Sinarm, havia 46.186 registros ativos de armas em Santa Catarina até dezembro de 2018. Já a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Trimestral (Pnadc/T) do último trimestre de 2018 estimava a população do estado em 7,2 milhões de habitantes. Isso significa que o estado tem 6,5 armas registradas para cada mil habitantes, a quarta maior proporção entre os estados brasileiros. A unidade da federação com maior proporção de armas por habitante é o Distrito Federal (11,1 para cada mil habitantes). Veja os dados aqui.


“(…) [Santa Catarina] Tem hoje a menor taxa de assassinatos”
Título de texto feito pelo site Jornal da Cidade Online que, até as 16h30 do dia 23 de maio de 2019, tinha sido compartilhado mais de 25,9 mil vezes pelo Facebook

FALSO

Segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2018, São Paulo teve a menor taxa de mortes violentas intencionais (MVI): 10,7 para cada cem mil habitantes. Santa Catarina ficou em segundo lugar, com 16,5 mortes para cada cem mil. Os dados são de 2017, último ano com dados consolidados para todos os estados.

O Monitor da Violência do G1 – projeto feito em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública e a USP, que traz os números mais recentes sobre homicídios – também mostra São Paulo à frente de Santa Catarina. Em 2018, foram 7,6 mortes violentas para cada 100 mil habitantes em solo paulista, contra 11,9 para cada cem mil no estado da região Sul.

Nos três primeiros três meses de 2019, a situação se manteve. Os índices registrados para o estado foram 1,2 por 100 mil habitantes em janeiro, 0,6 por 100 mil em fevereiro e 0,9 por 100 mil em março. São Paulo teve índices melhores: 0,7 por 100 mil em janeiro, 0,5 por 100 mil em fevereiro e 0,6 por 100 mil em março. Santa Catarina foi superada também pelo Distrito Federal em janeiro (1,1 por 100 mil).

Não é possível comparar os números do Monitor com os de Anuário, pois as metodologias divergem. Mesmo assim, ambos mostram que São Paulo, e não Santa Catarina, é o estado com menor taxa de homicídios do país.

Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook.

Editado por: Chico Marés e Nathália Afonso

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo