A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É montagem cartaz de manifestantes da CUT que diz ‘não me obriguem a trabalhar’

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
18.jun.2019 | 18h30 |

Circula pelas redes sociais uma foto de manifestantes da Central Ùnica dos Trabalhadores (CUT), segurando um cartaz com o texto “Não me obriguem a trabalhar!”. Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“Não me obriguem a trabalhar!”
Texto de imagem que, até as 16h de 18 de junho de 2019, tinha mais de 14 mil compartilhamentos no Facebook

FALSO

A imagem analisada pela Lupa foi alterada digitalmente. Tirada em 28 de janeiro de 2015 por Viviane Barbosa, da Mídia Consulte, a foto original apareceu em uma publicação no site da Federação dos Sindicatos de Metalúrgicos da CUT de São Paulo e mostra manifestantes segurando um cartaz com a seguinte frase: “Não mexa com os meus direitos”.

Eles protestavam em defesa do emprego e contra duas medidas provisórias (664 e 665) do governo de Dilma Rousseff (PT). Batizadas como “MPs do ajuste fiscal”, alteravam a legislação trabalhista e previdenciária. O ato foi organizado por centrais sindicais como CUT, Força Sindical e União Geral dos Trabalhadores (UGT). A imagem foi utilizada em outros momentos para ilustrar manifestações da CUT contra alterações na Previdência ainda no governo Dilma, em 2016, e durante o governo de Michel Temer (MDB), em 2018.

A foto já foi utilizada em outras montagens. Em fevereiro de 2019, o cartaz modificado  informava que os manifestantes iriam cometer suicídio caso o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não fosse solto. Na época, a Lupa mostrou que o cartaz era falso.

Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook

Editado por: Maurício Moraes

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo