A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falso que paracetamol está infectado com vírus mortal

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
18.jun.2019 | 16h34 |

Circula nas redes sociais uma publicação que pede para a população não utilizar o medicamento ‘paracetamol p-500’. De acordo com o texto porque ele estaria infectado com o vírus Machupo. Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“Cuidado para não tomar o paracetamol que vem escrito p-500. É novo, muito branco e brilhante brilhante (sic). Os médicos provam que contêm o vírus Machupo, considerado um dos vírus mais perigosos do mundo com elevada taxa de mortalidade”

Texto de publicação compartilhada no Facebook em 18 de junho de 2019

FALSO

É falso que o paracetamol P-500 carrega o vírus Machupo. Em nota, o Ministério da Saúde afirmou que a notícia era falsa e pediu para que não fosse compartilhada. De acordo com a pasta, a Anvisa “realiza a análise de todas as informações sobre a qualidade, segurança e eficácia do medicamento”, para decidir se ele será liberado e para que a população não seja “exposta a riscos desnecessários”. Além disso, os medicamentos passam por revalidações periódicas e monitoramentos mesmo depois de inseridos no mercado.

Outras versões da mesma desinformação já circularam em Moçambique, em 2015, afirmando que o paracetamol teria o vírus Ebola, e também na Malásia, fazendo com que o ministro da Saúde local desmentisse a corrente.

Uma checagem semelhante foi feita anteriormente pelo Boatos.org e pelo E-Farsas.

Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook

Editado por: Maurício Moraes e Nathália Afonso

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo