A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falso que PT tenha ido ao STF contra redução do preço do gás

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
06.ago.2019 | 16h14 |

Circula nas redes sociais que o PT teria ingressado com ação no Supremo Tribunal Federal (STF) contra a redução do preço do gás de cozinha, anunciada na semana passada pelo governo federal. Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“PT entra com ação no STF para impedir que Bolsonaro reduza o preço do gás”
Título de conteúdo publicado pelos sites Mídia Five, AM Hoje e Blog do Vavá da Luz, com mais de 33 mil interações nas redes sociais, segundo a plataforma Buzzsumo

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. O PT não protocolou ação deste tipo no STF nos últimos dias. O pedido mais recente apresentado pelo partido à Corte é de 21 de junho de 2019, e não tem relação com o preço do gás de cozinha – trata-se de um recurso apresentado contra uma decisão do Tribunal Regional Eleitoral do Amapá.

Em nota, a presidente do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann (PT-PR), classificou o conteúdo como “mentira”. “Ao contrário do que diz o texto, a deputada apresentou projeto de lei justamente para reduzir e fixar o preço do gás de cozinha em R$ 49 [para o consumidor]”, diz a nota.

Na sexta-feira (2), a Petrobras anunciou a redução do preço do gás liquefeito de petróleo (GLP), ou gás de cozinha, de R$ 26,20 para R$ 24,06 nas refinarias. Os preços estão valendo desde segunda (5).

Essa informação também foi verificada pelos sites Boatos.org e e-Farsas.

Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook

Editado por: Natália Leal

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo