A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: São antigas e não foram feitas na Amazônia fotos de animais vítimas de queimadas

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
20.ago.2019 | 19h28 |

Circula pelas redes sociais um post com quatro imagens de animais que teriam sido vítimas de incêndios recentes na Amazônia. Uma das fotos mostra um animal correndo de um campo em chamas. Outra é um registro de uma onça ferida. Há também um tamanduá morto e um tatu bebendo água dada por um bombeiro. Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“Genteee, isso é a Floresta Amazônica!!!! (…)  Por favor, o coração de vocês nao sentem (sic) pelos animais, fauna e flora!?”

Legenda de post que, até as 18h de 20 de agosto de 2019, tinha mais de 500 compartilhamentos no Facebook

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. As quatro imagens reunidas no post foram feitas em épocas e lugares diferentes, que não são áreas da floresta amazônica. Três dos registros ocorreram em fazendas atingidas pelo fogo no interior de São Paulo, em 2011, e no Mato Grosso, em 2019. Outra das fotos, que circulava já em 2016, retrata um animal atingido por um veículo em uma estrada.

A imagem que mostra um animal fugindo de um campo em chamas (veja acima) foi feita pelo fotógrafo Silva Júnior, da Folhapress, em 17 de agosto de 2011. De acordo com a legenda, o que se vê é uma queimada em canavial em Sertãozinho, no interior de São Paulo. A foto foi usada em uma reportagem da Folha de S.Paulo de 18 de setembro daquele ano. A rmatéria mostra que os incêndios nas lavouras de cana-de-açúcar, hoje proibidos no estado, estavam lotando zoológicos e hospitais com bichos feridos.

Já a foto da onça pintada ferida (veja acima) circulava na internet em 2016, em uma montagem, ao lado de um tamanduá, que ilustra um post do portal Gente de Opinião. Na publicação, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) alertava para os riscos de atropelamento de animais no estado de Rondônia, por conta do tempo seco e das queimadas que ocorriam na época. O site identifica a assessoria de imprensa da PRF como autora do texto.

A imagem com um tamanduá morto em um campo queimado (veja acima) aparece em um post do jornal Integração – Diário Regional, em 20 de maio de 2011. A legenda informa tratar-se de uma vítima de uma queimada ilegal em uma fazenda de Presidente Venceslau, no interior de São Paulo. Os autores do incêndio foram multados pelos órgãos de fiscalização ambiental.

A única foto recente, em que o bombeiro dá água para um tatu em um campo devastado (veja acima), ilustrou uma reportagem do G1 de 17 de agosto de 2019. De acordo com o texto, houve um incêndio em uma fazenda no Mato Grosso entre os municípios de Nova Mutum e São José do Rio Claro. O fogo atingiu 766 hectares de campo em 18 de julho e os bombeiros encontraram esse e outros animais da espécie enquanto periciavam o local.

Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook

Editado por: Natália Leal

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo