A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: Vídeo de indígena denunciando incêndio em aldeia não foi feito na Amazônia

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
23.ago.2019 | 18h07 |

Circula nas redes sociais um vídeo de uma mulher indígena denunciando um incêndio em sua aldeia. Segundo a legenda da postagem, as imagens seriam do “incêndio criminoso na Amazônia”. Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“Incêndio criminoso na Amazônia! Aos prantos, índia diz que os ‘baderneiros’ estão tacando fogo em tudo”
Legenda de vídeo publicado no Facebook que, até as 17h do dia 22 de agosto de 2019, havia sido compartilhada mais de 8 mil vezes

FALSO

O vídeo analisado pela Lupa não foi feito na Amazônia. O registro ocorreu durante um incêndio perto da aldeia Naô Xohã, em São Joaquim de Bicas (MG), região metropolitana de Belo Horizonte. O crime aconteceu no dia 6 de julho deste ano. Na época, a Polícia Federal e Militar e o Ministério Público Federal foram ao local analisar o caso. 

O Ministério Público de Minas Gerais informou que o delegado da Superintendência da Polícia Federal contou que “pessoas desconhecidas  teriam rondado a aldeia, efetuado alguns disparos de arma de fogo e provocado incêndio em mata próxima àquela aldeia”. A Polícia Federal instaurou um inquérito para investigar o incêndio. 

Em janeiro, a aldeia indígena Naô Xohã foi afetada pelo rompimento da barragem de Brumadinho, Minas Gerais. O rio utilizado pela comunidade foi poluído, afetando a vida dos habitantes locais. Segundo uma reportagem do UOL, a aldeia  passou a depender de doações para beber, comer e tomar banho.

Essa informação também foi verificada pelo Aos Fatos.

Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo