A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falso que Talíria Petrone disse que policiais ‘são pagos para morrer’

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
27.ago.2019 | 20h43 |

Circula nas redes sociais uma publicação afirmando que a deputada federal Talíria Petrone (PSOL-RJ) teria dito em sessão na Câmara que policiais “são pagos para morrer”. Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“Deputada federal do PSOL Talíria Petrone (…) afirmou em sessão na Câmara dos deputados que ‘os policiais não fazem mais que a obrigação morrer em combate contra o crime organizado, pois eles são pagos para isso, morrer’”
Imagem publicada no Facebook que, até as 19h40 do dia 27 de agosto, tinha sido compartilhada por mais de 100 pessoas

FALSO

A frase analisada pela Lupa não foi dita pela deputada Talíria Petrone (PSOL-RJ) em plenário ou em comissões. A Câmara registra todas as falas dos deputados durante as sessões. 

No plenário, ela mencionou a palavra “policiais” em quatro discursos, em nenhum dizendo que eles têm “obrigação de morrer em combate” ou algo que possa ser interpretado desta forma.

Em um desses discursos, Talíria declara o exato oposto: “para nós não dá para colocar esses agentes numa lógica de matar pobres, matar e morrer, e, na hora de defender os seus direitos, negá-los”. Essa foi a única fala na qual ela usou o verbo “morrer” em plenário. A deputada não disse a expressão “crime organizado” ou a palavra  pagos em nenhum dos seus discursos.

Já em comissões, há 21 registros do uso da palavra “policiais” em sessões nas quais Talíria estava. Porém, como os documentos não são individualizados, em muitos casos a palavra foi dita por outro deputado. Em nenhum dos registros, ela disse a frase que consta na imagem, ou algo parecido.

No Twitter, a deputada classificou a informação como “fake news absurda”. “Defendemos um modelo de segurança pública a favor da vida e dos direitos: dos policiais, dos moradores de favela, do povo negro, do trabalhador”, declarou.

Essa informação também foi verificada pelo site Eté Checagem.

Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook

Editado por: Natália Leal

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo